Projeto Renascendo realiza monitoramento das nascentes

Acompanhamento das mudas reflorestadas

A equipe do #ProjetoRenascendo esteve em campo entre os dias 29 de setembro e 02 de outubro para monitorar as nascentes que foram recuperadas e os barramentos implantados, além do desenvolvimento das áreas reflorestadas. Foram visitados os municípios de Canapi, Inhapi e Mata Grande em Alagoas e Tacaratu em Pernambuco.

A grande maioria das nascentes está com uma ótima vazão; as áreas reflorestadas apresentam bom desenvolvimento;  as estruturas das cercas estão preservadas e não  há vestígios de animais domésticos nas áreas cercadas; os barramentos funcionaram de maneira satisfatória, retendo muito material de erosão, o que contribuiu para diminuir o efeito de assoreamento dos rios da região onde foram implantados.  

É importante ressaltar que o monitoramento foi feito com todos os cuidados necessários diante da pandemia que estamos enfrentando: distanciamento social, medidas de proteção e de higiene adequadas.

O Projeto Renascendo foi executado pelo #InstitutoPalmas e patrocinado pela #Petrobras, por meio do #ProgramaPetrobrasSocioambiental.

Hoje é o Dia da Caatinga, brasileira e única!

“Neste quadro de beleza
A gente vê com certeza
Que a musga da natureza
Tem riqueza de incantá.”

(Patativa do Assaré)

Hoje é o Dia da Caatinga (28 de abril), brasileira e única, esse bioma que está inserido em um dos semiáridos mais biodiversos do mundo, também possui particularidades, como os longos períodos de estiagem, singularidades climáticas que exigem soluções diversas e articuladas em rede.

O Instituto Palmas, através dos Projeto Renascendo e do Algodão em Consórcios Agroecológicos, celebra a Vida, os ciclos, os encontros, o pertencimento, a força e a fé na construção de um mundo mais sustentável, solidário, humano e justo. Gratidão aos homens e mulheres, agricultores e agricultoras familiares, camponeses e camponesas, professoras e professores, indígenas e quilombolas que seguem semeando e cuidando da nossa Caatinga, da Terra, da Vida.

Há exato um ano, o Projeto #Renascendo, em parceria com os projetos #Opará#NoClimadaCaatinga#RedeSolidáriadeMulheresdeSergipe, todos patrocinados pela #Petrobras, realizou o Encontro “Convivendo com o Semiárido: Produção e Sustentabilidade Hidroambiental”, reunindo especialistas, comunidades e projetos comprometidos com a sustentabilidade no semiárido, proporcionando momentos de trocas de saberes e experiências.

#InstitutoPalmas
#PetrobrasSocioAmbiental
#Diaconia
#DiadaCaatinga

Livro “Projeto Renascendo: Nascentes Vivas do Sertão” é apresentado em evento no Campus Sertão da UFAL

O Projeto Renascendo apresentou o livro “Nascentes Vivas no Sertão”, no evento “I GEPAR Apresenta”, realizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Análise Regional – GEPAR/UFAL, ocorrido no dia 29/01, no Campus Sertão, em Delmiro Gouveia/AL. 

Maria do Carmo Vieira, coordenadora geral do projeto, durante apresentação do livro na UFAL, Campus Sertão.

Participaram do evento a coordenadora geral do Projeto Renascendo, Maria do Carmo Vieira e a assessora de Educação Ambiental, Ana Cristina Accioly, que divulgaram as ações e objetivos alcançados durante os dois anos de atuação do projeto.

A assessora de educação ambiental, Ana Cristina Accioly e a coordenadora geral, Maria do Carmo, apresentam o livro para estudantes e professores da UFAL.

Segundo o Prof. Dr. Lucas Gama Lima,  coordenador do GEPAR e um dos autores do livro Projeto Renascendo: Nascentes Vivas no Sertão, esse foi um projeto de grande relevância para o sertão alagoano e pernambucano, “porque além de contribuir para recuperação das nascentes, também contribui para a recuperação de um elemento que é fundamental para a sociabilidade de diversas comunidades do sertão que é a água, a água é muito mais do que uma provisão para garantir a sobrevivência desses indivíduos, a água é um elemento de sociabilidade, de comunhão, de partilha e por meio da água também se permite um resgate das memórias e identidades”, ressaltou Lucas Gama.

O Livro Projeto Renascendo: Nascentes Vivas no Sertão está disponível gratuitamente para download no link: https://drive.google.com/file/d/1KL997WF1PoM4WXxv7fi_ycqsPdt61w3C/view

O Projeto Renascendo

Atuou na revitalização da Bacia do Rio São Francisco, através da articulação da Rede Renascendo de Educação Ambiental, da implantação de tecnologias de recuperação de nascentes e boas práticas de convivência com o semiárido.

O Projeto Renascendo foi realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com o IMA – Instituto de Meio Ambiente de Alagoas e as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Projeto Renascendo, patrocinado pela Petrobras, desenvolve ações de segurança hídrica no semiárido, e realiza evento de encerramento, com o lançamento do livro “Nascentes Vivas no Sertão”

Ao longo de dois anos, o Renascendo recuperou 25 nascentes,  plantou 1.800 mudas, em mais de 8 hectares, oferecendo água de qualidade e contribuindo para a sustentabilidade hidroambiental em áreas atingidas pelas secas, no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco. As ações são realizadas pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras.

O Projeto Renascendo realiza o encerramento de suas atividades e lançamento do livro “Nascentes Vivas no Sertão”, em evento que acontece no dia 17 de dezembro de 2019, às 09 horas, no Centro Xingó de Convivência com o Semiárido, em Piranhas/AL.

Atividade de reflorestamento na Comunidade indígena Pankararu da Tapera, em Tacaratu/PE. Ao todo foram plantadas 1.800 mudas, em mais de 8 hectares. Foto: Kaedla Menezes

Para Maria do Carmo Vieira, coordenadora geral, “essa é a finalização de mais uma etapa, do esforço no sentido da recuperação e conservação da biodiversidade, de contribuição para a sustentabilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do Baixo São Francisco. Junto a isso foi feito um intenso trabalho de educação ambiental no sentido do empoderamento das pessoas, disseminação de hábitos saudáveis e dos cuidados com as nascentes recuperadas”, afirma. 

Atividade de reflorestamento durante os Dias de Campo na Comunidade Quilombola da Serra das Viúvas, em Água Branca/AL. Foto: Equipe Renascendo

O Projeto Renascendo contou com 530 participantes diretos, dos quais 60% são mulheres, a exemplo de Lia Araújo, presidente da AMAQUI – Associação de Mulheres Artesãs Quilombolas Serra das Viúvas, em Água Branca/AL. “O Projeto teve um grande impacto na nossa comunidade, por ter recuperado uma fonte histórica, nossa melhor água, que é a Fonte do Pau D´alho, e ao darem oportunidade da gente ter autonomia nos ensinando a maneira de recuperar a nascente, o projeto deu independência ao transmitir pra comunidade esse conhecimento”, afirma Lia Araújo.

Pedro Lucas, superintendente de recursos hídricos da SEMARH/AL, fala durante o 2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambiental, em Delmiro Gouveia. Foto: André Souza

Segundo Pedro Lucas de Brito, superintendente de recursos hídricos da SEMARH/AL, as ações de recuperação de nascentes do Projeto Renascendo estão alinhadas com programas desenvolvidos pelo governo do estado, “nos comprometemos com o Renascendo e fizemos a análise da qualidade da água nas 25 nascentes recuperadas, através da parceria com o IMA – Instituto de Meio Ambiente de Alagoas, que disponibilizou o seu laboratório”, enfatiza. 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com o IMA – Instituto de Meio Ambiente de Alagoas e as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Evento de Encerramento e lançamento do livro: Projeto Renascendo: Nascentes Vivas no Sertão

Dia: 17/12/2019

Local: Centro Xingó de Convivência com o Semiárido

Horário: Das 9h às 13h

2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambiental debate segurança hídrica e gestão ambiental das nascentes

O encontro tem como público alvo multiplicadores ambientais e parceiros, instituições governamentais e não governamentais que atuam na área socioambiental. O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras.

O objetivo do 2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambientalé a promoção da gestão compartilhada e apresentação das ações e resultados alcançados pelo Projeto Renascendo. O evento acontece no dia 12 de novembro, das 8h às 13h, na sede da Coppabacs – Cooperativa de Pequenos Produtores Agrícolas dos Bancos Comunitários de Sementes, em Delmiro Gouveia.

Participantes dialogam com equipe durante encontro de educação ambiental, a metodologia participativa empregada serve para o aprimoramento das ações do Projeto Renascendo. Foto: André Souza

A iniciativa faz parte da sustentabilidade do Projeto Renascendo no âmbito do território de atuação, por meio do controle social e transparência, exercido no espaço do Colegiado Territorial do Alto Sertão, e conta com a presença da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU), além de representantes das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Ações de educação ambiental sensibilizam as comunidades do entorno das nascentes para os cuidados hídricos e ambientais. Foto: Kaedla Menezes

Pretende-se construir estratégias e compromissos coletivos de cuidados com os recursos hídricos, incluindo o manejo e gestão das nascentes recuperadas, dos barramentos e dos microssistemas de irrigação implantados pelo Projeto Renascendo. Segundo a coordenadora geral do Projeto Renascendo, Maria do Carmo Vieira, “esse será um momento especial para uma avaliação da Execução do Projeto, contando com a presença de participantes diretos, parceiros e colaboradores, serão apresentadas as ações realizadas e se abrirão espaço para os depoimentos dos participantes, para o relato das experiências individuais na questão do uso, proteção e manejo dos recursos hídricos”, ressalta a coordenadora. 

A coordenadora do Projeto Renascendo, Maria do Carmo Vieira, durante o Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental. Foto André Souza

O Projeto Renascendo

Atua na revitalização da Bacia do Rio São Francisco, através da articulação da Rede Renascendo de Educação Ambiental, da implantação de tecnologias de recuperação de nascentes e boas práticas de convivência com o semiárido.

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambiental 

Dia: 12/11/2019

Local: Delmiro Gouveia/AL, Rua Antônio Ivo, nº 73, na sede da Coppabacs.

Horário: Das 8h às 13h

Projeto Renascendo recupera 25 nascentes no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco, com patrocínio da Petrobras

A recuperação das nascentes tem garantido a segurança hidroambiental e melhoria na qualidade da água para famílias sertanejas, em comunidades rurais distantes, nos municípios alagoanos de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu, em Pernambuco

O Projeto Renascendo atinge uma de suas metas com a recuperação de mais duas nascentes, alcançando o objetivo de 25 nascentes recuperadas, em atividades de campo com participação da comunidade local e equipe técnica do projeto, durante os dias 22 e 23 de outubro. As atividades acontecem na propriedade de Seu Vital, no Brejo dos Padres, e de Dona Vera, na comunidade Tapera, ambas localizadas no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE.

O coordenador técnico, Pablo Tomás, apresenta a técnica solo-cimento na comunidade Tacaicó, em Tacaratu/PE. Foto: André Souza

Para recuperar as nascentes é utilizada a técnica de solo-cimento, mas o processo de recuperação também prevê a implantação de cercas para proteção das áreas, ligações das caixas d’água, cloração e o reflorestamento das matas ciliares no entorno das nascentes. “Durante esse tempo de execução do projeto foi aumentando a aceitação da população com o processo de recuperação, no início quando a gente falava, o pessoal desconfiava, agora quando chegamos nas comunidades as pessoas elogiam e dizem que a qualidade da água melhorou bastante e que já estão bebendo dessa água”, afirma Pablo Vieira Tomás, coordenador técnico do Projeto Renascendo.

Cícero Soares da Cruz, indígena Pankararu, “estamos vendo que já melhorou a qualidade da água”. Foto: Kaedla Menezes

As nascentes tem uma vazão  média de 300 litros por hora, o que daria uma produção diária de 180 metros cúbicos por dia, que seriam suficientes para atender as necessidades de 1500 pessoas, aproximadamente. Dessa forma o projeto fortalece a segurança hidroambiental, em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, marcados pela degradação ambiental e longos períodos de estiagem.

Nascente recuperada através da interação entre equipe técnica e moradores das comunidades. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo

Além das ações de proteção e recuperação de nascentes, o projeto já capacitou 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras “cuidadoras da vida”, em atividades de educação ambiental. 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Dia do Nordestino

Hoje comemoramos o Dia do Nordestino, esse povo que nutre a cultura brasileira com sua diversidade de manifestações culturais, presente na musicalidade, culinária, dança, folclore e riqueza de paisagens naturais, que marcam a identidade do nordeste.
Temos orgulho de trabalhar junto com o povo nordestino na melhoria da qualidade de vida e da segurança hidroambiental no semiárido.
O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com patrocínio Petrobras, atua na recuperação de nascentes e educação ambiental, em Alagoas e Pernambuco.

Ações do Projeto Renascendo promovem disseminação de boas práticas de convivência com o semiárido e reflorestamento de nascentes

O Projeto Renascendo finaliza as atividades dos Dias de Campo, com disseminação de tecnologias de convivência com o semiárido e reflorestamento das matas ciliares, com plantio de mais de 300 mudas. As ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras

Nos Dias de Campo foram realizadas atividades práticas nas comunidades participantes do Projeto Renascendo, com ações de reflorestamento de matas ciliares, apresentação das tecnologias de convivência com o semiárido e caminhada ecológica, além da formação de 155 multiplicadores em boas práticas ambientais, tendo como público as comunidades participantes, escolas locais e parceiros do projeto.

Tecnologia Solo-cimento de recuperação de nascentes e saneamento ecológico. Foto: André Souza

Ao todo, foram realizados 6 encontros dos Dias de Campo, entre os meses de julho e agosto. Foi possível conhecer de perto tecnologias como a Solo-cimento de proteção de nascentes, a Barragem Base Zero – BBZ, para recuperação de áreas degradas e em processo de desertificação,  além do reflorestamento das áreas das nascentes. Segundo o coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, foram plantadas mais de 300 mudas de espécies nativas, entre elas: Caraibeira, Ipê-roxo, Trapiá, Juazeiro, Aroeira do Sertão, Jurema, Pau-ferro, Angico de Caroço, Angico-monjolo, Barriguda, Umbu e Imburana de Cheiro.

Crianças e jovens, estudantes das comunidades escolares das nascentes recuperadas participam dos Dias de Campo. Foto: André Souza

Os encontros contaram com a participação de professores, crianças e jovens das comunidades escolares locais,  “muito importante esse encontro porque eles já estão vendo isso desde pequenos, do que é sujeira e do que é limpeza, de não jogar coisas ali dentro da nascente, eles tem que aprender a limpeza e a não desmatar”, ressaltou Neide Nunes Rodrigues, uma das proprietárias das terras das nascentes recuperadas no Sítio Olho D´aguinha, em Tacaratu/PE.

Apresentação da Barragem Base Zero – BBZ, tecnologia de recuperação de áreas degradas e em processo de desertificação. Foto: André Souza

A iniciativa contou com as parcerias técnicas do Projeto OPARÁ: Águas do São Francisco, realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda e Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga, da Bacia hidrográfica do Rio São Francisco; do Prof. Ulysses Cortez, biólogo e mestre em Ecologia, professor aposentado da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, que desenvolve pesquisa sobre o Ouricuri; e da gerente de vigilância em Saúde Ambiental, Dra. Maria Elisabeth Vieira da Rocha, representando a Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas – SESAU/AL, que tratou dos cuidados com a qualidade da água.As ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal. Com o apoio da SEMARH – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas, da SESAU – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca/AL, Mata Grande/AL, Canapi/AL, Inhapi/AL, Pariconha/AL e Tacaratu/PE. 

Projeto Renascendo promove práticas sustentáveis de convivência com o semiárido em Dias de Campo

Ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras,através da articulação da Rede de Educação Ambiental, da implantação de tecnologias de recuperação de nascentes e boas práticas de convivência com o semiárido

Os Dias de Campo são atividades vivenciadas nas comunidades, com práticas relacionadas às tecnologias sustentáveis utilizadas pelo Projeto Renascendo, como:  barramentos de enxurrada, técnica solo-cimento de proteção de nascentes e reflorestamentos. As vivências acontecem nos municípios participantes, durante os meses de julho e agosto: Pariconha/AL (16/07), Água Branca/AL (17/07), Canapi/AL (19/08), Tacaratu/PE (12/08), Mata Grande/AL (22/08) e Inhapi/AL (23/08).

Oficinas para disseminação de práticas sustentáveis, como a tecnologia Solo-cimento de recuperação de nascentes e saneamento ecológico. Foto: André Souza

O objetivo é que os/as multiplicadores/as vivenciem os bioprocessos do bioma caatinga, aprendam as técnicas e tenham uma visão sistêmica de como elas se articulam para contribuir com a segurança hídrica e ambiental no sertão. Para Ana Cristina Accioly, assessora de educação ambiental, “pretende-se que estes Dias de Campo agreguem vivências e conhecimentos que possam inspirar e qualificar ainda mais as ações de sustentabilidade dos/as multiplicadores/as, que levarão estes conhecimentos para as comunidades”. 

O Renascendo atua diretamente na formação de 150 multiplicadores ambientais, que compõem a Rede Renascendo de Educação Ambiental, “são os multiplicadores que protagonizam as ações de educação ambiental, envolvendo mais sujeitos e articulando parcerias. Os Dias de Campo são parte do itinerário pedagógico de formação destes/as multiplicadores/as”, afirma Ana Accioly. 

Reflorestamento das Matas Ciliares, nascente de Cícero Soares da Cruz, na comunidade Tapera, Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE.

Ao todo, serão realizados 6 encontros dos Dias de Campo, um em cada município de atuação, com a participação de 15 multiplicadores/as por encontro. A formação contará com as parcerias técnicas do Projeto OPARÁ: Águas do São Francisco, realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda e Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga, da Bacia hidrográfica do Rio São Francisco, no sertão de Sergipe e Alagoas; E do Prof. Ulysses Cortez, biólogo e mestre em Ecologia, professor aposentado da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, que desenvolve pesquisa sobre o Ouricuri.

Coleta de água para análise de qualidade com Ecokits e sensibilização ambiental, na comunidade Tapera, Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal. Com o apoio da SEMARH – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas, da SESAU – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.