2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambiental debate segurança hídrica e gestão ambiental das nascentes

O encontro tem como público alvo multiplicadores ambientais e parceiros, instituições governamentais e não governamentais que atuam na área socioambiental. O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras.

O objetivo do 2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambientalé a promoção da gestão compartilhada e apresentação das ações e resultados alcançados pelo Projeto Renascendo. O evento acontece no dia 12 de novembro, das 8h às 13h, na sede da Coppabacs – Cooperativa de Pequenos Produtores Agrícolas dos Bancos Comunitários de Sementes, em Delmiro Gouveia.

Participantes dialogam com equipe durante encontro de educação ambiental, a metodologia participativa empregada serve para o aprimoramento das ações do Projeto Renascendo. Foto: André Souza

A iniciativa faz parte da sustentabilidade do Projeto Renascendo no âmbito do território de atuação, por meio do controle social e transparência, exercido no espaço do Colegiado Territorial do Alto Sertão, e conta com a presença da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU), além de representantes das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Ações de educação ambiental sensibilizam as comunidades do entorno das nascentes para os cuidados hídricos e ambientais. Foto: Kaedla Menezes

Pretende-se construir estratégias e compromissos coletivos de cuidados com os recursos hídricos, incluindo o manejo e gestão das nascentes recuperadas, dos barramentos e dos microssistemas de irrigação implantados pelo Projeto Renascendo. Segundo a coordenadora geral do Projeto Renascendo, Maria do Carmo Vieira, “esse será um momento especial para uma avaliação da Execução do Projeto, contando com a presença de participantes diretos, parceiros e colaboradores, serão apresentadas as ações realizadas e se abrirão espaço para os depoimentos dos participantes, para o relato das experiências individuais na questão do uso, proteção e manejo dos recursos hídricos”, ressalta a coordenadora. 

A coordenadora do Projeto Renascendo, Maria do Carmo Vieira, durante o Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental. Foto André Souza

O Projeto Renascendo

Atua na revitalização da Bacia do Rio São Francisco, através da articulação da Rede Renascendo de Educação Ambiental, da implantação de tecnologias de recuperação de nascentes e boas práticas de convivência com o semiárido.

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

2º Encontro Territorial da Rede Renascendo de Educação Ambiental 

Dia: 12/11/2019

Local: Delmiro Gouveia/AL, Rua Antônio Ivo, nº 73, na sede da Coppabacs.

Horário: Das 8h às 13h

Projeto Renascendo recupera 25 nascentes no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco, com patrocínio da Petrobras

A recuperação das nascentes tem garantido a segurança hidroambiental e melhoria na qualidade da água para famílias sertanejas, em comunidades rurais distantes, nos municípios alagoanos de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu, em Pernambuco

O Projeto Renascendo atinge uma de suas metas com a recuperação de mais duas nascentes, alcançando o objetivo de 25 nascentes recuperadas, em atividades de campo com participação da comunidade local e equipe técnica do projeto, durante os dias 22 e 23 de outubro. As atividades acontecem na propriedade de Seu Vital, no Brejo dos Padres, e de Dona Vera, na comunidade Tapera, ambas localizadas no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE.

O coordenador técnico, Pablo Tomás, apresenta a técnica solo-cimento na comunidade Tacaicó, em Tacaratu/PE. Foto: André Souza

Para recuperar as nascentes é utilizada a técnica de solo-cimento, mas o processo de recuperação também prevê a implantação de cercas para proteção das áreas, ligações das caixas d’água, cloração e o reflorestamento das matas ciliares no entorno das nascentes. “Durante esse tempo de execução do projeto foi aumentando a aceitação da população com o processo de recuperação, no início quando a gente falava, o pessoal desconfiava, agora quando chegamos nas comunidades as pessoas elogiam e dizem que a qualidade da água melhorou bastante e que já estão bebendo dessa água”, afirma Pablo Vieira Tomás, coordenador técnico do Projeto Renascendo.

Cícero Soares da Cruz, indígena Pankararu, “estamos vendo que já melhorou a qualidade da água”. Foto: Kaedla Menezes

As nascentes tem uma vazão  média de 300 litros por hora, o que daria uma produção diária de 180 metros cúbicos por dia, que seriam suficientes para atender as necessidades de 1500 pessoas, aproximadamente. Dessa forma o projeto fortalece a segurança hidroambiental, em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, marcados pela degradação ambiental e longos períodos de estiagem.

Nascente recuperada através da interação entre equipe técnica e moradores das comunidades. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo

Além das ações de proteção e recuperação de nascentes, o projeto já capacitou 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras “cuidadoras da vida”, em atividades de educação ambiental. 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Ações do Projeto Renascendo promovem disseminação de boas práticas de convivência com o semiárido e reflorestamento de nascentes

O Projeto Renascendo finaliza as atividades dos Dias de Campo, com disseminação de tecnologias de convivência com o semiárido e reflorestamento das matas ciliares, com plantio de mais de 300 mudas. As ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras

Nos Dias de Campo foram realizadas atividades práticas nas comunidades participantes do Projeto Renascendo, com ações de reflorestamento de matas ciliares, apresentação das tecnologias de convivência com o semiárido e caminhada ecológica, além da formação de 155 multiplicadores em boas práticas ambientais, tendo como público as comunidades participantes, escolas locais e parceiros do projeto.

Tecnologia Solo-cimento de recuperação de nascentes e saneamento ecológico. Foto: André Souza

Ao todo, foram realizados 6 encontros dos Dias de Campo, entre os meses de julho e agosto. Foi possível conhecer de perto tecnologias como a Solo-cimento de proteção de nascentes, a Barragem Base Zero – BBZ, para recuperação de áreas degradas e em processo de desertificação,  além do reflorestamento das áreas das nascentes. Segundo o coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, foram plantadas mais de 300 mudas de espécies nativas, entre elas: Caraibeira, Ipê-roxo, Trapiá, Juazeiro, Aroeira do Sertão, Jurema, Pau-ferro, Angico de Caroço, Angico-monjolo, Barriguda, Umbu e Imburana de Cheiro.

Crianças e jovens, estudantes das comunidades escolares das nascentes recuperadas participam dos Dias de Campo. Foto: André Souza

Os encontros contaram com a participação de professores, crianças e jovens das comunidades escolares locais,  “muito importante esse encontro porque eles já estão vendo isso desde pequenos, do que é sujeira e do que é limpeza, de não jogar coisas ali dentro da nascente, eles tem que aprender a limpeza e a não desmatar”, ressaltou Neide Nunes Rodrigues, uma das proprietárias das terras das nascentes recuperadas no Sítio Olho D´aguinha, em Tacaratu/PE.

Apresentação da Barragem Base Zero – BBZ, tecnologia de recuperação de áreas degradas e em processo de desertificação. Foto: André Souza

A iniciativa contou com as parcerias técnicas do Projeto OPARÁ: Águas do São Francisco, realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda e Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga, da Bacia hidrográfica do Rio São Francisco; do Prof. Ulysses Cortez, biólogo e mestre em Ecologia, professor aposentado da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, que desenvolve pesquisa sobre o Ouricuri; e da gerente de vigilância em Saúde Ambiental, Dra. Maria Elisabeth Vieira da Rocha, representando a Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas – SESAU/AL, que tratou dos cuidados com a qualidade da água.As ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal. Com o apoio da SEMARH – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas, da SESAU – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca/AL, Mata Grande/AL, Canapi/AL, Inhapi/AL, Pariconha/AL e Tacaratu/PE. 

Projeto Renascendo promove práticas sustentáveis de convivência com o semiárido em Dias de Campo

Ações do projeto são executadas pelo Instituto Palmas, e contam com o patrocínio da Petrobras,através da articulação da Rede de Educação Ambiental, da implantação de tecnologias de recuperação de nascentes e boas práticas de convivência com o semiárido

Os Dias de Campo são atividades vivenciadas nas comunidades, com práticas relacionadas às tecnologias sustentáveis utilizadas pelo Projeto Renascendo, como:  barramentos de enxurrada, técnica solo-cimento de proteção de nascentes e reflorestamentos. As vivências acontecem nos municípios participantes, durante os meses de julho e agosto: Pariconha/AL (16/07), Água Branca/AL (17/07), Canapi/AL (19/08), Tacaratu/PE (12/08), Mata Grande/AL (22/08) e Inhapi/AL (23/08).

Oficinas para disseminação de práticas sustentáveis, como a tecnologia Solo-cimento de recuperação de nascentes e saneamento ecológico. Foto: André Souza

O objetivo é que os/as multiplicadores/as vivenciem os bioprocessos do bioma caatinga, aprendam as técnicas e tenham uma visão sistêmica de como elas se articulam para contribuir com a segurança hídrica e ambiental no sertão. Para Ana Cristina Accioly, assessora de educação ambiental, “pretende-se que estes Dias de Campo agreguem vivências e conhecimentos que possam inspirar e qualificar ainda mais as ações de sustentabilidade dos/as multiplicadores/as, que levarão estes conhecimentos para as comunidades”. 

O Renascendo atua diretamente na formação de 150 multiplicadores ambientais, que compõem a Rede Renascendo de Educação Ambiental, “são os multiplicadores que protagonizam as ações de educação ambiental, envolvendo mais sujeitos e articulando parcerias. Os Dias de Campo são parte do itinerário pedagógico de formação destes/as multiplicadores/as”, afirma Ana Accioly. 

Reflorestamento das Matas Ciliares, nascente de Cícero Soares da Cruz, na comunidade Tapera, Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE.

Ao todo, serão realizados 6 encontros dos Dias de Campo, um em cada município de atuação, com a participação de 15 multiplicadores/as por encontro. A formação contará com as parcerias técnicas do Projeto OPARÁ: Águas do São Francisco, realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda e Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga, da Bacia hidrográfica do Rio São Francisco, no sertão de Sergipe e Alagoas; E do Prof. Ulysses Cortez, biólogo e mestre em Ecologia, professor aposentado da UFAL – Universidade Federal de Alagoas, que desenvolve pesquisa sobre o Ouricuri.

Coleta de água para análise de qualidade com Ecokits e sensibilização ambiental, na comunidade Tapera, Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal. Com o apoio da SEMARH – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas, da SESAU – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE. 

Projetos patrocinados pela Petrobras celebram o Dia Mundial do Meio Ambiente com ações de conscientização ecológica

Análise de água com ecokits. Foto: Kaedla Menezes

A sociedade será mobilizada para refletir sobre as questões ambientais e os desafios enfrentados atualmente para o desenvolvimento sustentável em ações educativas nos estados de Alagoas, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe.

As ações serão realizadas pelos projetos: Opará, Plantando Águas, Renascendo, Semeando Água, Taramandahy e Tecendo as Águas – com o objetivo de promover a reflexão sobre um dos temas centrais para o desenvolvimento sustentável que é a água, com o slogan: “Quem planta cuida da Terra, cuidar da Terra é cuidar da Água”. Os projetos são patrocinados pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, dentro da linha temática Água.

O Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado no dia 05 de junho, desde 1972, quando foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), em referência a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, que ocorreu em Estocolmo, na Suécia. A data convoca a população mundial e governos a refletirem sobre a gestão dos recursos naturais, a degradação ambiental e a importância da preservação do meio ambiente.

Saiba mais sobre as ações e acompanhe tudo nas redes sociais com as hashtag #projetosÁgua escolhida pelos projetos como forma de integrar as iniciativas conjuntas.

Opará Águas do Rio São Francisco

Durante a Semana do Meio Ambiente serão realizadas atividades voltadas para sensibilização e conscientização das pessoas sobre a importância do cuidado com o meio ambiente. Destaque para a Caravana Opará, que será realizada entre os dias 05 e 07 de junho em duas escolas do Assentamento Jacaré-Curituba (Poço Redondo/SE), onde serão desenvolvidas oficinas de educomunicação, produção de sementes e mudas e sessões de documentários no “Cine Beira-Rio”.

A programação começa na terça (04/06) com a palestra: Meio Ambiente e Recursos Hídricos, na Escola Municipal João Teles, em Aracaju/SE e finaliza na sexta (07/06) com uma Oficina de Fertirrigação, no Assentamento Jacaré-Curituba, em Poço Redondo/SE.

www.opara.org.br

Facebook: @ProjetoOpara

Instagram: @projeto.opara/

Plantando Águas

Dá continuidade às atividades de assistência técnica rural, de monitoramento da água e dos sistemas agroflorestais (SAFs) implantados. No mês de junho, os resultados das análises laboratoriais de qualidade da água e de eficiência dos sistemas de saneamento serão trabalhados com as comunidades. Elas são fruto de duas campanhas de coleta em rios nas cidades de Araraquara, Barra do Turvo, Cajati, Porto Feliz e São Carlos, todas no interior de São Paulo, e de três campanhas de coleta de oito fossas biodigestoras no modelo Caratinga (com bombonas). 

http://www.iniciativaverde.org.br/plantandoaguas.php

Facebook: @/plantandoaguas/

Instagram: @iniciativaverde/

Plantio no entorno da nascente de Cícero da Cruz, povo indígena Pankararu, Tacaratu/PE. Foto: Kaedla Menezes

Projeto Renascendo: realiza atividades de educação ambiental na escola da aldeia indígena Koiupanká, na comunidade Baixa do Galo onde foi recuperada uma nascente, em Inhapi, no Alto Sertão de Alagoas. As atividades serão análise de água com Eco Kit e plantio de mudas nativas da caatinga, com a participação de agentes públicos municipais, famílias agricultoras e comunidade escolar.

www.projetorenascendo.com

Facebook: @projetorenascendo1

Instagram: @projetorenascendo

Semeando Água:a semana começa com a apresentação sobre Serviços Ecossistêmicos para educadores de Atibaia já que o assunto será o tema do concurso de desenho da Festa de Flores e Morangos de Atibaia. Na terça (04) lideranças de empresas participarão do Em jogo: sustentabilidade para empresas -saiba mais sobre a importância do Sistema Cantareira para os negócios e como é possível contribuir, na UMAPaz, na capital paulista. O objetivo é (re)conhecer o atual cenário do Sistema Cantareira e somar esforços para o aumento da sua resiliência. Inscrições gratuitas http://bit.ly/sustentabilidade-para-empresasvagas limitadas. No dia 05 de junho, funcionários da Refinaria de Paulínia (Replan/Petrobras) participarão de plantio em Nazaré Paulista. No dia 06 à noite, educadores de Bragança Paulista vão conferir apresentação sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, no Núcleo de Apoio ao Professor e ao Aluno (NAPA). Inscrições no link: https://forms.gle/ZZ3SfJYLsuRKziLcA. No dia 07 de junho, será a vez de estudantes do ensino fundamental da Escola Municipal Coronel Ladislau Leme, em Bragança Paulista, participarem de atividades lúdicas para aprender mais sobre os serviços ecossistêmico. No sábado (08), o projeto Semeando Água participará da mesa de diálogos durante o II Simpósio Ambiente e educação: da biodiversidade à Restauração de Ecossistemas, na FESB – Fundação de Ensino Superior de Bragança Paulista.

Facebook:@ipe.instituto.pesquisas.ecologicas

Instagram: @institutoipe/

Taramandahy

O Projeto Taramandahy – Fase III celebrará a data durante todo o mês de junho com visitas orientadas ao Centro de Referências Ambientais (CRA) Taramandahy de alunos de escolas públicas de Maquiné/RS (de 03 a 06 e de 10 a 14); palestra do coordenador Dilton de Castro no III Fórum de Gestão Ambiental do Litoral Norte, realizado pela UFRGS/Ceclimar e Transpetro/TEDUT (07); Feira da Biodiversidade de Maquiné (08); Seminário de Meliponicultura (09); oficinas de: secador solar no CRA Taramandahy (15) e de implementação de tratamento ecológico de esgoto na Aldeia Ka’aguy Porão, em Maquiné (17); e seminário sobre desastres hidrológicos na região da bacia do rio Tramandaí (26), com inscrições no link: https://forms.gle/tdN275gE9eNw72SKA.

taramandahy.org.br

Facebook: @Taramandahy/

Instagram: @projetotaramandahy/

Projeto Tecendo as Águas: Completando 25 anos em prol do meio ambiente, o Instituto Supereco abre o Mês do Meio Ambiente com uma série de atividades educativas e de fortalecimento de boas práticas socioambientais, educomunicação, oficinas, palestras e roteiros de turismo pedagógico.Eventos de 03 a 08/06: I Congresso de Empreendedorismo Sustentável do Litoral Norte Paulista.

Inscrições: www.sustentavelcongresso.com

Caminhada e Bicicletada Ecológica pelas Águas, Oceano e Clima

Inscrições: https://www.facebook.com/events/584101545444602/

https://www.supereco.org.br/tecendo

Facebook: @ ProjetoTecendoasAguas/

Instagram: @institutosupereco/

Programa Petrobras Socioambiental: 

http://sites.petrobras.com.br/socioambiental/?nav=sobre

Saiba mais sobre os Projetos

Opará: águas do rio São Francisco:realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga com atividades de restauração florestal, educação ambiental, monitoramento hídrico e pesquisas de solo e água na região semiárida dos estados de Sergipe e Alagoas, na bacia hidrográfica do rio São Francisco, Jacaré e riacho Mato da Onça, na Reserva Mato da Onça, em Pão de Açúcar. A principal área de atuação do projeto é o perímetro irrigado Jacaré-Curituba, em uma região de clima semiárido, na Caatinga, em uma área de irrigação que abriga cerca de 800 famílias de trabalhadores rurais em regime de agricultura familiar com problemas de salinização do solo e desmatamento em áreas de mata ciliar. 

Plantando Águas:realizado pela Iniciativa Verde, seu objetivo é recuperar e proteger os recursos hídricos por meio da adequação ambiental de imóveis rurais. Está em sua segunda fase, e atua em nove cidades do interior de São Paulo, em assentamentos rurais, pequenas propriedades familiares e unidades de conservação. Entre as ações, presta assistência técnica rural, oferece mudas e insumos para o plantio de agroflorestas, instala sistemas de saneamento de baixo custo e promove oficinas e atendimentos de educação ambiental.

Projeto Renascendo:realizado pelo Instituto Palmas com o objetivo de recuperar nascentes e multiplicar práticas sustentáveis de convivência com o semiárido, de melhoria da segurança hidroambiental e saneamento ecológico, através da articulação da Rede Renascendo de Educação Ambiental, composta por uma diversidade social de povos indígenas, quilombolas, grupos de mulheres, famílias agricultoras, sociedade civil organizada e gestores públicos. Tem ajudado comunidades a enfrentar os períodos de estiagem em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE. 

Semeando Água: realizado pelo IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas tem como objetivo disseminar práticas sustentáveis que contribuem para o aumento da renda do pequeno produtor rural e ao mesmo tempo ampliam a conservação dos recursos hídricos, o que soma esforços para a segurança hídrica do Sistema Cantareira. O projeto que está no segundo ciclo atua em cinco frentes: Manejo de Pastagem Ecológica, Restauração Florestal, Educação Ambiental, Políticas Públicas e Comunicação em oito municípios do Sistema Cantareira: Bragança Paulista, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista e Piracaia, em São Paulo, além de Camanducaia, Extrema e Itapeva, em Minas Gerais

Taramandahy:realizado pela OSC Anama – Ação Nascente Maquiné – está em sua terceira fase patrocinado pela Petrobras, e em parceria com o Comitê de Bacia, atuando na gestão dos recursos hídricos da Bacia do Rio Tramandaí, com sete eixos de ações integradas com a gestão das águas, quais são: monitoramento da qualidade da água; de conservação integrada dos recursos hídricos, solo e floresta; de qualificação do Comitê Tramandaí; de educação e sensibilização ambiental, educação alimentar e nutricional; difusão de tecnologias sociais no Centro de Referências Ambientais; de mobilização/capacitação de agentes locais de defesa civil; e de apoio à Gestão Territorial e Ambiental das Terras Indígenas Mbyá Guarani. Entre as atividades realizadas pelo Projeto, estão por exemplo: a assessoria técnica à agricultura familiar na transição para base ecológica, as formações pela soberania alimentar e de permacutura, a produção e distribuição de mudas de espécies nativas, o incentivo à meliponicultura, e o mapeamento dos impactos ambientais de lagoas e rios.

Tecendo as Águas:tem o objetivo de desenvolver boas práticas de conservação dos recursos hídricos continentais e marinhos, a partir da educação, do fortalecimento comunitário e da gestão compartilhada das bacias hidrográficas do litoral norte de SP, no Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar.

Projetos da Petrobras realizam evento sobre Dia da Caatinga

As experiências sustentáveis de produção na Caatinga serão a temática central do Encontro Convivendo com o Semiárido: Produção e Sustentabilidade Hidroambiental em comemoração ao Dia da Caatinga, que acontecerá no Centro Xingó de Convivência com o semiárido em Piranhas/AL, no dia 27 de abril, das 8 às 17 horas.

A programação prevê pela manhã, debates com a participação de especialistas em torno da sustentabilidade hidroambiental da caatinga e das questões  produtivas. Durante a tarde, estão previstas oficinas práticas onde o público participante poderá conhecer um pouco mais sobre boas práticas de convivência com o semiárido. 

A iniciativa é dos projetos patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal: Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas em Alagoas. Opará: águas do rio São Francisco, da Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda, entre Sergipe e Alagoas, Universidade Federal de Sergipe, Projeto No Clima da Caatinga, da Associação Caatinga, no Ceará, Rede Solidária de Mulheres de Sergipe, da Associação das Catadoras de Mangaba de Indiaroba (Ascamai), em Sergipe. O evento tem a parceria do Centro Xingó de Convivência com o Semiárido.

Atividade de campo do Projeto Renascendo

Saiba mais sobre os Projetos

Oparááguas do rio São Francisco: O Projeto Opará: águas do rio São Francisco é realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda em parceria com a Universidade Federal de Sergipe, atuando na recuperação de áreas degradadas da Caatinga com atividades de restauração florestal, educação ambiental, monitoramento hídrico e pesquisas de solo e água na região semiárida dos estados de Sergipe e Alagoas, na bacia hidrográfica do rio São Francisco, Jacaré e riacho Mato da Onça, na Reserva Mato da Onça, em Pão de Açúcar. O principal local de atuação do projeto é o perímetro irrigado Jacaré-Curituba, em uma região de clima semiárido, na Caatinga, em uma área de irrigação que abriga cerca de 800 famílias de trabalhadores rurais em regime de agricultura familiar com problemas de salinização do solo e desmatamento em áreas de mata ciliar. 

Site: www.opara.org,br

facebook: ProjetoOpara

Instagram : Projeto.Opara

Projeto Renascendo: Realizado pelo Instituto Palmas, tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE. Atua na melhoria da segurança hidroambiental, através da recuperação de nascentes e criação de uma rede de educação ambiental, tem ajudado famílias a enfrentar os períodos de estiagem em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco.

Site:http://www.projetorenascendo.com/

Facebook: @projetorenascendo1

Instagram: @projetorenascendo

Rede Solidária de Mulheres de Sergipe: Rede Solidária de Mulheres de Sergipeé um projeto realizado pela Associação das Catadoras de Mangaba de Indiaroba (Ascamai), com patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental, que atua com cerca de 600 mulheres de seis municípios sergipanos, incentivando a economia solidária e criativa, e valorizando os saberes tradicionais e a sociobiodiversidade, por meio do desenvolvimento de competências sócioprofissionais, numa perspectiva de educação para o trabalho.

Site: http://redesolidariademulheres.com.br/

E-mail: ascamai18@gmail.com

Facebook: @redesolidariademulheres

Instagram: @redesolidariademulheres

www.redesolidariademulheres.com.br

No Clima da Caatinga: Realizado pela Associação Caatinga o projeto No Clima da Caatinga (NCC) busca a mitigação de efeitos potencializadores do aquecimento global através da conservação do semiárido e consequente a fixação e emissão evitada de CO² na atmosfera.

O Projeto foca na proteção e valorização da Caatinga, única floresta exclusivamente brasileira, e que mesmo assim ainda recebe pouca atenção e baixo investimento para a conservação em ações de sustentabilidade, mesmo que seja um dos semiáridos com maior biodiversidade do planeta.

O NCC atua na Reserva Natural Serra das Almas (Unidade de Conservação mantida pela Associação Caatinga em Crateús) e nas comunidades do entorno da Reserva, atendendo as regiões no sertão do Ceará e Piauí. As tecnologias sustentáveis como o forno solar, o fogão ecoeficiente e a cisterna de placas, e a educação ambiental chegarão a 30 comunidades do Ceará e 10 do Piauí, o que contribui para o uso inteligente dos recursos naturais e, consequente, melhoria da qualidade de vida da população local.

São três linhas de atuação prioritárias: biodiversidade e sociodiversidade, floresta e clima, e água. As ações serão desenvolvidas nos eixos de prevenção e conservação, uso inteligente dos recursos naturais e educação e comunicação.

Site: http://www.noclimadacaatinga.org.br

Facebook: https://m.facebook.com/projetonoclimadacaatinga/

Insta: https://www.instagram.com/noclimadacaatinga/

Programa Petrobras Socioambiental: http://sites.petrobras.com.br/socioambiental/?nav=sobre  

Projetos patrocinados pela Petrobras mobilizam a sociedade para celebrar os Dias Mundiais das Florestas e da Água

Alunos do Ensino Fundamental e Médio, agricultores e esportistas participarão nesta semana, em Alagoas, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe, de iniciativas que comemoram o Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, desde 1992, quando foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU). As ações serão realizadas por seis projetos: Opará, Plantando Águas, Renascendo, Semeando Água, Taramanday e Tecendo as Águas – com o objetivo de promover a reflexão sobre uma questão-chave para o desenvolvimento socioeconômico: a água. Em comum, além da temática principal, os projetos contam com o patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental. 

Na mesma semana é comemorado também o Dia Mundial das Florestas, em 21 de março. A proximidade das datas remete à importante relação das florestas nativas na proteção dos recursos hídricos, tema que será trabalhado pelos projetos. 

Saiba mais sobre as ações e acompanhe tudo nas redes sociais com a hashtag #projetosÁgua escolhida pelos projetos como forma de integrar as iniciativas. 

Opará: Águas do Rio São Francisco:realiza programação especial para pautar ações socioambientais de preservação, recuperação e conservação deste importante recurso natural com mobilizações coletivas sobre a importância da sustentabilidade hídrica na sociedade. No dia 13 de março, foi realizada a palestra Eficiência do Uso da Água na Universidade Federal de Sergipe. No dia 18, o projeto realizou o minicurso de Restauração Florestal: Experiência na Caatinga durante XII Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe (XII ENREHSE) na Universidade Federal de Sergipe e no dia 21 promoverá atividade experimental de pesquisa com análise da cunha salina e qualidade da água na foz do rio São Francisco, entre Sergipe e Alagoas. 

www.opara.org.br
Facebook:@ProjetoOpara
Instagram:@projeto.opara/

Plantando Águas:fará atividades com alunos da turma de meio ambiente ETEC de Piedade/SP. No dia 21, será um mutirão de plantio numa área ciliar perto da escola, e no 22 coleta e análise de água em 10 pontos do rio Pirapora, desde a nascente até seu cruzamento com a  cidade.

http://www.iniciativaverde.org.br/plantandoaguas.php
Facebook: @/plantandoaguas/
Instagram: @iniciativaverde/

Projeto Renascendo:realiza vivências e atividades no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco, com a participação de comunidades escolares, agentes públicos e famílias agricultoras. A nascente de Cícero Soares da Cruz, no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE, foi escolhida para a realização de uma caminhada ecológica, onde será realizada análise de água com ecokits e plantio de mudas nativas da caatinga. Em Alagoas, as atividades serão protagonizadas pela SESAU – Secretaria de Estado da Saúde, com um mutirão de análise de água e palestras de sensibilização para os cuidados hídricos e ambientais, que acontecem simultaneamente nos municípios alagoanos que integram o Projeto Renascendo.

www.projetorenascendo.com

Facebook: @projetorenascendo1

Instagram: @projetorenascendo

Semeando Água:no dia 21/03 (Dia Mundial das Florestas) o projeto realizará plantio com 200 mudas nativas da Mata Atlântica com alunos de escolas públicas, na região do Sistema Cantareira, no sul de Minas Gerais. Em 22/03 Dia Mundial da Água cinco turmas da Escola Estadual Fabio Hacl Pínola, de Nazaré Paulista/SP vão conhecer o viveiro do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, localizado na mesma cidade, que está entre as provedoras de água do Sistema Cantareira. A ação busca mostrar aos alunos a relação entre floresta e água. Durante a visita os alunos terão a oportunidade de conhecer todas as etapas que envolvem a obtenção de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica. 

http://semeandoagua.ipe.org.br/

Facebook:@ipe.instituto.pesquisas.ecologicas

Instagram:@institutoipe/

Taramandahy:o projeto iniciou as comemorações dia 2 de março, realizando a Caiacada (remada ecológica) “Carnaval das Águas”, em duas lagoas de Cidreira (RS) e reunindo 130 participantes em um bate-papo ambiental sobre os múltiplos usos da água. E dia 23 de março, realizará sua 4ª Caiacada, com tema “Água para Todos” referendando o tema do Dia Mundial da Água 2019. Esta remada será pelo rio que compõe a bacia do rio Tramandaí, com plantio de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em mata ciliar e feirinha de produtos agroecológicos, o que buscará chamar a atenção para o Dia Mundial das Florestas (21/3). A ação vai incluir o tradicional bate-papo ambiental com destaque para a sinergia entre a data e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). 

http://taramandahy.org.br/
Facebook: @Taramandahy/
Instagram: @projetotaramandahy/

Tecendo as Águas:abrindo a Semana da Água, promovida pela Prefeitura Municipal de São Sebastião/ SP, o projeto fará uma Roda de Conversa sobre a Água e a Dinâmica Água no Mundo com alunos da rede municipal de ensino. Também será proferida uma palestra sobre a Introdução à Semana da Água, No dia 22, o Tecendo participará do Lançamento do Plano Nacional de combate ao Lixo no Mar, que acontecerá em Ilhabela/SP. Para esta ação, serão feitas abordagens de sensibilização, com pessoas caracterizadas com personagens marinhos. 

https://www.supereco.org.br/tecendo
Facebook: @ ProjetoTecendoasAguas/
Instagram: @institutosupereco/

Programa Petrobras Socioambiental: http://sites.petrobras.com.br/socioambiental/?nav=sobre  

Saiba mais sobre os Projetos

Oparááguas do rio São Francisco: realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS), atuando de recuperação de áreas degradadas da Caatinga com atividades de restauração florestal, educação ambiental, monitoramento hídrico e pesquisas de solo e água na região semiárida dos estados de Sergipe e Alagoas, na bacia hidrográfica do rio São Francisco, Jacaré e riacho Mato da Onça, na Reserva Mato da Onça, em Pão de Açúcar. A principal área de atuação do projeto é o perímetro irrigado Jacaré-Curituba, em uma região de clima semiárido, na Caatinga, em uma área de irrigação que abriga cerca de 800 famílias de trabalhadores rurais em regime de agricultura familiar com problemas de salinização do solo e desmatamento em áreas de mata ciliar. 

Plantando Águas:realizado pela Iniciativa Verde, seu objetivo é recuperar e proteger os recursos hídricos por meio da adequação ambiental de imóveis rurais. Está em sua segunda fase, e atua em nove cidades do interior de São Paulo, em assentamentos rurais, pequenas propriedades familiares e unidades de conservação. Entre as ações, presta assistência técnica rural, oferece mudas e insumos para o plantio de agroflorestas, instala sistemas de saneamento de baixo custo e promove oficinas e atendimentos de educação ambiental.

Projeto Renascendo:realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE. Atua na melhoria da segurança hidroambiental, através da recuperação de nascentes e criação de uma rede de educação ambiental, tem ajudado famílias a enfrentar os períodos de estiagem em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco.

Semeando Água:realizado pelo IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas tem como objetivo disseminar práticas sustentáveis que contribuem para o aumento da renda do pequeno produtor rural e ao mesmo tempo ampliam a conservação dos recursos hídricos, o que soma esforços para a segurança hídrica do Sistema Cantareira. O projeto que está no segundo ciclo atua em cinco frentes: Manejo de Pastagem Ecológica, Restauração Florestal, Educação Ambiental, Políticas Públicas e Comunicação em oito municípios do Sistema Cantareira: Bragança Paulista, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista e Piracaia, em São Paulo, além de Camanducaia, Extrema e Itapeva, em Minas Gerais

Taramandahy:realizado pela OSC Anama – Ação Nascente Maquiné – está em sua terceira fase patrocinado pela Petrobras, e em parceria com o Comitê de bacia, atuando na gestão dos recursos hídricos da Bacia do Rio Tramandaí, com sete eixos de ações integradas com a gestão das águas, quais são: monitoramento da qualidade da água; de conservação integrada dos recursos hídricos, solo e floresta; de qualificação do Comitê Tramandaí; de educação e sensibilização ambiental, educação alimentar e nutricional; difusão de tecnologias sociais no Centro de Referências Ambientais; de mobilização/capacitação de agentes locais de defesa civil; e de apoio à Gestão Territorial e Ambiental das Terras Indígenas Mbyá Guarani. Entre as atividades realizadas pelo Projeto, estão por exemplo: a assessoria técnica à agricultura familiar na transição para base ecológica, as formações pela soberania alimentar e de permacutura, a produção e distribuição de mudas de espécies nativas, o incentivo à meliponicultura, e o mapeamento dos impactos ambientais de lagoas e rios.

Tecendo as Águas: tem o objetivo de desenvolver boas práticas de conservação dos recursos hídricos continentais e marinhos, a partir da educação, do fortalecimento comunitário e da gestão compartilhada das bacias hidrográficas do litoral norte de SP, no Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar.

Mais informações à imprensa:

Semeando Água: Cibele Quirino – semeandoagua-com@ipe.org.br/ (11) 97297-3516

Plantando Águas: Marina Vieira – marina@iniciativaverde.org.br / (11) 3647-9293

Projeto Opará: Águas do rio São Francisco: 
Kátia Azevedo-oparacomunicacao@canoadetolda.org.br/ (79) 99973-2689

Projeto Renascendo: André Souza – projetorenascendo1@gmail.com
(75 ) 991340243

Taramandahy: Anaiara Ventura – anaiaras@gmail.com(51) 99395-0333

Tecendo as Águas: Vera Teixeira – comunicacao@supereco.org.br (12) 3882 0100/ (12) 99140-8539

Rede Renascendo de Educação Ambiental fortalece o protagonismo feminino com as multiplicadoras “Cuidadoras da Vida”

O Projeto Renascendo conclui a primeira fase de formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da vida”, são mais de 70 multiplicadoras ambientais que atuam nas comunidades, no intuito da educação hídrica e ambiental. A realização é do Instituto Palmas, com patrocínio Petrobras.

O Encontro das “Cuidadoras da Vida” (26/02) reuniu mais de 30 mulheres multiplicadoras ambientais, dos municípios de Mata Grande, Inhapi e Canapi (AL), que discutiram temas como: segurança hídrica, agroecologia e empoderamento feminino. Além das rodas de conversa e troca de saberes, durante o evento, as participantes criaram um canteiro de ervas medicinais.

O perfil das Cuidadoras da Vidaé de mulheres camponesas, agricultoras e lideranças comunitárias, “a mulher é esse ser que de dentro do seu seio já nasce esse sentimento de cuidado da terra, de respeitar”, explica uma das formadoras, a agricultora Jocelina Santana, sobre a forte relação das mulheres agricultoras com os elementos: terra e água.

Segundo a assistente de educação ambiental do projeto, Sílvia Janayna de Oliveira,  durante esses encontros se discutem temas como: “o empoderamento da mulher, de cuidar da vida, de sua família, da plantação, da alimentação, da saúde, de cuidar da água. Foi uma coisa que percebemos no processo desde o Renas-Ser”, a partir da constatação do protagonismo feminino, da participação, do compromisso com as ações de recuperação dasnascentes e a centralidade na gestão dos recursos naturais.

Mulheres agricultoras e a igualdade de gênero no mundo

As mulheres do campo vivem relações desiguais no acesso aos recursos produtivos, tecnologias e educação. O trabalho realizado com mulheres agricultoras no Projeto Renascendo está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, propostos pela ONU – Organização das Nações Unidas, que defende a igualdade de acesso à educação de qualidade, aos recursos econômicos e a participação política, na tomada de decisões em todos os níveis, por mulheres e meninas.


A Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, mais conhecida como ONU Mulheres, escolheu como tema do Dia Internacional da Mulher (08/03) em 2019, “Pensemos em Igualdade, Construção com Inteligência e Inovação para a Mudança”. A ONU Mulheres também promove a Campanha Regional, #MulheresRurais, mulheres com direitos, pela autonomia plena das mulheres rurais, indígenas e afrodescendentes da América Latina e do Caribe. 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Projeto Renascendo recupera 21 nascentes e contribui para a melhoria da segurança hidroambiental, no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco

A melhoria da segurança hidroambiental, através da recuperação de nascentes, tem ajudado famílias a enfrentar os períodos de estiagem, em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco.  O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com patrocínio da Petrobras.

Projeto Renascendo contribui para a segurança hidroambiental, em municípios marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. Foto: André Souza

Durante o mês de fevereiro, o Projeto Renascendo recuperou 8 nascentes, nos municípios de Mata Grande/AL e Tacaratu/PE. Alcançando um total de 21 nascentes recuperadas, durante 1 ano de atuação. O projeto contribui para a segurança hidroambiental, em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. 

A técnica utilizada na recuperação das nascentes é a do solo-cimento, e a atividade é feita de maneira conjunta, resultante da interação entre a equipe técnica e as comunidades participantes. Essa ação, também é um momento de educação ambiental e de formação, onde os multiplicadores locais são capacitados na replicação da técnica solo-cimento e sensibilizados para os cuidados hídricos e ambientais. 

Cícero Soares da Cruz, indígena Pankararu, “o Projeto Renascendo foi uma novidade pra gente… estamos vendo que já melhorou a qualidade da água”. Foto: Ricardo Lima

Cícero Soares da Cruz, da comunidade Tapera, no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE, foi beneficiado com a recuperação de duas nascentes em sua propriedade, “a gente já vinha trabalhando com um tipo de reflorestamento, preservando, mas não era baseado nas nascentes em si, era mais na fauna, nas plantas, não cortar, não desmatar ao redor, a gente tinha essa sensibilidade”. Cícero da Cruz replicou o conhecimento adquirido, e por iniciativa própria, recuperou mais uma nascente, “somando as três nascentes revitalizadas, chegam a jorrar em 24 horas, entre 13.000 a 14.000 litros de água, equivale a 2 caminhões-pipa por dia, já é um ganho muito grande para a comunidade, beneficiando cerca de 20 famílias, em torno de 100 pessoas diretamente”, afirma.

Nascente recuperada de maneira conjunta entre equipe técnica e participantes do Projeto Renascendo. Foto: Ricardo Lima

Com as atividades de proteção das nascentes, tais como cercamento, ligações das caixas d’água, cloração, amplia-se o acesso a uma água gratuita e de qualidade, segundo o coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, “com a recuperação das 21 nascentes, nós temos em média uma vazão de 300 litros por hora em cada nascente, equivale a 151m³de água por dia, suficiente para abastecer mais de 1.200 pessoas com água de qualidade, em lugares onde não havia essa água, mas que ainda passa por uma série de análises, até que possa ser liberada para o consumo humano”, enfatiza o coordenador técnico. 

O Coordenador técnico Pablo Vieira explica sobre a técnica de recuperação com solo-cimento. Foto: Ricardo Lima

Além das ações de proteção e recuperação, o projeto já capacitou 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras “cuidadoras da vida”, em atividades de educação ambiental.

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Encontro Regional da Rede Renascendo apresenta 1ª fase das ações de recuperação de nascentes e sustentabilidade hídrica no sertão de Alagoas e Pernambuco

Apresentar as ações de recuperação de nascentes e de formação de multiplicadores são alguns dos objetivos do Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental, que acontece no dia 11/12 (terça-feira), na sede da Copabbacs, em Delmiro Gouveia-AL. A ação é uma das etapas do Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras

Análise da qualidade da água é uma das ações práticas da educação ambiental do Projeto Renascendo. Foto: Kaedla Menezes

O Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental apresenta os resultados obtidos durante a primeira fase do Projeto Renascendo, contará com a participação das comunidades locais, sociedade organizada e gestores públicos. Até o momento, o Renascendo recuperou 13 nascentes, em municípios do sertão de Alagoas e Pernambuco. Além da formação de 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras, do grupo “Cuidadoras da Vida”, sensibilizados para os cuidados hídricos e sustentabilidade ambiental.

Para a coordenadora geral, Maria do Carmo Vieira, “a importância da realização deste Encontro Regional,  após 1 ano de execução do Projeto,  decorre da oportunidade de partilhar com os membros do Colegiado Territorial, os resultados já alcançados pelas equipes de campo, viabilizando o acompanhamento das ações previstas no Projeto Renascendo”, afirma. A atuação em rede e o fortalecimento das parcerias são fundamentais para alcançarmos as metas de sustentabilidade hídrica em regiões semiáridas. 

Ações de aproveitamento de água com a criação de canteiros de ervas e plantas medicinais. Foto: André Souza

O evento também pretende criar o planejamento das atividades de 2019, como explica Maria do Carmo Vieira, “é uma oportunidade de estabelecer metas conjuntas, discutir dificuldades, compartilhar o processo, planejar as ações, com a participação dos agricultores, das comunidades, dos gestores públicos. Espera-se que, através desse processo de gestão compartilhada, seja maximizada a possibilidade de assegurar a sustentabilidade dos recursos hídricos no sertão”, explica a coordenadora geral do Renascendo.

Caminhadas ecológicas são integradas as vivencias de sensibilização e educação ambiental para os cuidados hídricos nas comunidades participantes. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras, tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.