Rede Renascendo de Educação Ambiental fortalece o protagonismo feminino com as multiplicadoras “Cuidadoras da Vida”

O Projeto Renascendo conclui a primeira fase de formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da vida”, são mais de 70 multiplicadoras ambientais que atuam nas comunidades, no intuito da educação hídrica e ambiental. A realização é do Instituto Palmas, com patrocínio Petrobras.

O Encontro das “Cuidadoras da Vida” (26/02) reuniu mais de 30 mulheres multiplicadoras ambientais, dos municípios de Mata Grande, Inhapi e Canapi (AL), que discutiram temas como: segurança hídrica, agroecologia e empoderamento feminino. Além das rodas de conversa e troca de saberes, durante o evento, as participantes criaram um canteiro de ervas medicinais.

O perfil das Cuidadoras da Vidaé de mulheres camponesas, agricultoras e lideranças comunitárias, “a mulher é esse ser que de dentro do seu seio já nasce esse sentimento de cuidado da terra, de respeitar”, explica uma das formadoras, a agricultora Jocelina Santana, sobre a forte relação das mulheres agricultoras com os elementos: terra e água.

Segundo a assistente de educação ambiental do projeto, Sílvia Janayna de Oliveira,  durante esses encontros se discutem temas como: “o empoderamento da mulher, de cuidar da vida, de sua família, da plantação, da alimentação, da saúde, de cuidar da água. Foi uma coisa que percebemos no processo desde o Renas-Ser”, a partir da constatação do protagonismo feminino, da participação, do compromisso com as ações de recuperação dasnascentes e a centralidade na gestão dos recursos naturais.

Mulheres agricultoras e a igualdade de gênero no mundo

As mulheres do campo vivem relações desiguais no acesso aos recursos produtivos, tecnologias e educação. O trabalho realizado com mulheres agricultoras no Projeto Renascendo está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, propostos pela ONU – Organização das Nações Unidas, que defende a igualdade de acesso à educação de qualidade, aos recursos econômicos e a participação política, na tomada de decisões em todos os níveis, por mulheres e meninas.


A Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, mais conhecida como ONU Mulheres, escolheu como tema do Dia Internacional da Mulher (08/03) em 2019, “Pensemos em Igualdade, Construção com Inteligência e Inovação para a Mudança”. A ONU Mulheres também promove a Campanha Regional, #MulheresRurais, mulheres com direitos, pela autonomia plena das mulheres rurais, indígenas e afrodescendentes da América Latina e do Caribe. 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Projeto Renascendo conclui os ciclos de formação dos “Nós” da Rede Renascendo de Educação Ambiental, em Canapi

O Projeto Renascendo conclui os ciclos de encontros locais realizados em todos os municípios participantes, foi a vez de Canapi acolher o Encontro do Nó da Rede de Educação Ambiental. O evento aconteceu no dia 28 de novembro, no Salão Paroquialdo município. A ação é uma das etapas do Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras

Equipe do Projeto Renascendo apresenta as propostas para participantes no encontro de Canapi/AL. Foto: André Souza

O Plano de Ação foi definido no encontro do “Nó da Rede” de Canapi/AL, que é o planejamento de ações e práticas ambientais. No município de Canapi, as ações estarão focadas nos projetos pedagógicos, a partir das escolas, cujo eixo temático central é a educação ambiental, tendo como temática específica os cuidados com a água. Durante o evento foram definidas escolas da zona rural prioritárias e a realização de um grande evento que envolverá todas as escolas municipais. 

O Encontro que teve como objetivo a formação do Nó da Rede de Canapi, também serviu para que a equipe do Projeto Renascendo apresentasse as diretrizes e atuação do projeto aos gestores municipais, aos participantes das comunidades locais, ao Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e a comunidade quilombola do Topete, que teve grande representatividade no encontro, o que possibilitou uma rica troca de experiências.

O Grupo de Mulheres “Cuidadoras da Vida” formará multiplicadoras dos cuidados hídricos e ambientais nas comunidades, em Canapi. Foto: André Souza

Em Canapi, o grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida” sugeriu trabalhar o tratamento do lixo e técnicas de reciclagem, com o reuso de materiais para produção de artesanato, utensílios que possam gerar renda para elas. O grupo também solicitou formação sobre a coleta seletiva do lixo e preparo de compostagem, para utilizar o composto orgânico na produção de canteiros de ervas medicinais.

A equipe técnica, em articulação com as comunidades, identificará áreas para a construção de barramentos de enxurradas, que é uma tecnologia para diminuir a erosão do solo, aumentar a área de infiltração das águas, para que possam chegar em maior quantidade às águas subterrâneas e diminuir o assoreamento de nascentes.

Segundo Ana Cristina Accioly, assessora de Educação Ambiental do projeto, “o envolvimento da comunidade é fundamental para os processos de cuidados com o patrimônio ambiental. A sensibilização e as contribuições das comunidades locais são irradiadas a partir dos Nós da Rede e por isso, estes encontros são tão importantes”, ressalta Accioly.

A gerente de vigilância em Saúde Ambiental da SESAU/AL, Maria Elisabeth Vieira da Rocha, fala durante o Encontro do Nó da Rede de Mata Grande/AL, sobre a recente parceria entre a SESAU e o Projeto Renascendo. Foto: Kaedla Menezes

As ações de recuperação das nascentes e educação ambiental ganham uma nova parceria estabelecida entre o projeto Renascendo e a SESAU/AL – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas, através da Superintendência de Vigilância em Saúde.  

De acordo com a gerente de vigilância em Saúde Ambiental da SESAU, Maria Elisabeth Vieira da Rocha, “essa parceria é muito importante porque o Estado vai conseguir chegar em comunidades mais distantes dentro dos municípios, nas zonas rurais, o projeto Renascendo aproxima essas comunidades às nossas ações, além de trazer como conteúdo da educação ambiental o cuidado com a qualidade da água”, afirma. A parceria com a SESAU/AL agrega maiores ações nos cuidados com a qualidade da água usada pelas comunidades. 

A comunidade Quilombola do Topete, localidade de Canapi, ensina a pisada do samba de coco para participantes do encontro. Foto: André Souza

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH) da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Seminário inicia sensibilização das comunidades para causa ambiental e cuidados hídricos

Com o objetivo de sensibilizar comunidades do sertão de Alagoas e Pernambuco para a causa ambiental, especialmente para os cuidados hídricos, o Projeto Renascendo realiza o I Seminário de Sensibilização no Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas. O evento acontece no dia 13 de março, das 9h às 15h, na sede da Coppabacs, em Delmiro Gouveia.

Imagem: Fonte do Ivan, Mata Grande-AL

O encontro tem como público alvo representantes de comunidades rurais, entidades locais e regionais, lideranças e representantes dos municípios parceiros do projeto – Inhapi, Canapi, Mata Grande, Água Branca, Pariconha, em Alagoas, e Tacaratu, em Pernambuco.
O seminário faz parte do Projeto Renascendo, que visa a construção de conhecimentos e práticas para melhoria da convivência com o semiárido e é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. O projeto tem como foco a sustentabilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do São Francisco, por meio da recuperação e monitoramento de nascentes, reflorestamento de matas ciliares, implantação de barragens, instalação de sistemas de irrigação, seminários de sensibilização com as comunidades rurais e a disseminação de práticas sustentáveis através da educação ambiental.

Imagem: Roda de apresentação durante o Encontro em Delmiro Gouveia-AL.

De acordo com a Assessora de Educação Ambiental do Instituto Palmas, Ana Cristina Accioly, o seminário será o ponto de partida para a apresentação do Projeto Renascendo e uma forma de identificar os possíveis parceiros dentro dos territórios para o desenvolvimento das ações. Ela explica que a partir desse conhecimento, forma-se a Rede Renascendo.
“Por meio do contato com essas pessoas identificamos os parceiros e assim levantamos as potencialidades e aprofundamos a realidade a partir da visão de quem mora no território, que vai identificar e mostrar a necessidade e a prioridade de cada passo do projeto a ser realizado”, explica Ana. Ela enfatiza que dentro da Rede Renascendo vão sendo formados grupos de educação ambiental em cada município parceiro, que são denominados “Nós da Rede” que se articulam com a Rede Renascendo. “A rede se articula e se move de forma própria, dinâmica e criativa, de acordo com as necessidades e as realidades das várias comunidades envolvidas”, complementa a assessora.
O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

Imagem: Participantes da Rede Renascendo de Educação Ambiental – Nós da Rede

O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.