Projeto Renascendo recupera 21 nascentes e contribui para a melhoria da segurança hidroambiental, no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco

A melhoria da segurança hidroambiental, através da recuperação de nascentes, tem ajudado famílias a enfrentar os períodos de estiagem, em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco.  O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com patrocínio da Petrobras.

Projeto Renascendo contribui para a segurança hidroambiental, em municípios marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. Foto: André Souza

Durante o mês de fevereiro, o Projeto Renascendo recuperou 8 nascentes, nos municípios de Mata Grande/AL e Tacaratu/PE. Alcançando um total de 21 nascentes recuperadas, durante 1 ano de atuação. O projeto contribui para a segurança hidroambiental, em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. 

A técnica utilizada na recuperação das nascentes é a do solo-cimento, e a atividade é feita de maneira conjunta, resultante da interação entre a equipe técnica e as comunidades participantes. Essa ação, também é um momento de educação ambiental e de formação, onde os multiplicadores locais são capacitados na replicação da técnica solo-cimento e sensibilizados para os cuidados hídricos e ambientais. 

Cícero Soares da Cruz, indígena Pankararu, “o Projeto Renascendo foi uma novidade pra gente… estamos vendo que já melhorou a qualidade da água”. Foto: Ricardo Lima

Cícero Soares da Cruz, da comunidade Tapera, no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE, foi beneficiado com a recuperação de duas nascentes em sua propriedade, “a gente já vinha trabalhando com um tipo de reflorestamento, preservando, mas não era baseado nas nascentes em si, era mais na fauna, nas plantas, não cortar, não desmatar ao redor, a gente tinha essa sensibilidade”. Cícero da Cruz replicou o conhecimento adquirido, e por iniciativa própria, recuperou mais uma nascente, “somando as três nascentes revitalizadas, chegam a jorrar em 24 horas, entre 13.000 a 14.000 litros de água, equivale a 2 caminhões-pipa por dia, já é um ganho muito grande para a comunidade, beneficiando cerca de 20 famílias, em torno de 100 pessoas diretamente”, afirma.

Nascente recuperada de maneira conjunta entre equipe técnica e participantes do Projeto Renascendo. Foto: Ricardo Lima

Com as atividades de proteção das nascentes, tais como cercamento, ligações das caixas d’água, cloração, amplia-se o acesso a uma água gratuita e de qualidade, segundo o coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, “com a recuperação das 21 nascentes, nós temos em média uma vazão de 300 litros por hora em cada nascente, equivale a 151m³de água por dia, suficiente para abastecer mais de 1.200 pessoas com água de qualidade, em lugares onde não havia essa água, mas que ainda passa por uma série de análises, até que possa ser liberada para o consumo humano”, enfatiza o coordenador técnico. 

O Coordenador técnico Pablo Vieira explica sobre a técnica de recuperação com solo-cimento. Foto: Ricardo Lima

Além das ações de proteção e recuperação, o projeto já capacitou 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras “cuidadoras da vida”, em atividades de educação ambiental.

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Encontro Regional da Rede Renascendo apresenta 1ª fase das ações de recuperação de nascentes e sustentabilidade hídrica no sertão de Alagoas e Pernambuco

Apresentar as ações de recuperação de nascentes e de formação de multiplicadores são alguns dos objetivos do Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental, que acontece no dia 11/12 (terça-feira), na sede da Copabbacs, em Delmiro Gouveia-AL. A ação é uma das etapas do Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras

Análise da qualidade da água é uma das ações práticas da educação ambiental do Projeto Renascendo. Foto: Kaedla Menezes

O Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental apresenta os resultados obtidos durante a primeira fase do Projeto Renascendo, contará com a participação das comunidades locais, sociedade organizada e gestores públicos. Até o momento, o Renascendo recuperou 13 nascentes, em municípios do sertão de Alagoas e Pernambuco. Além da formação de 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras, do grupo “Cuidadoras da Vida”, sensibilizados para os cuidados hídricos e sustentabilidade ambiental.

Para a coordenadora geral, Maria do Carmo Vieira, “a importância da realização deste Encontro Regional,  após 1 ano de execução do Projeto,  decorre da oportunidade de partilhar com os membros do Colegiado Territorial, os resultados já alcançados pelas equipes de campo, viabilizando o acompanhamento das ações previstas no Projeto Renascendo”, afirma. A atuação em rede e o fortalecimento das parcerias são fundamentais para alcançarmos as metas de sustentabilidade hídrica em regiões semiáridas. 

Ações de aproveitamento de água com a criação de canteiros de ervas e plantas medicinais. Foto: André Souza

O evento também pretende criar o planejamento das atividades de 2019, como explica Maria do Carmo Vieira, “é uma oportunidade de estabelecer metas conjuntas, discutir dificuldades, compartilhar o processo, planejar as ações, com a participação dos agricultores, das comunidades, dos gestores públicos. Espera-se que, através desse processo de gestão compartilhada, seja maximizada a possibilidade de assegurar a sustentabilidade dos recursos hídricos no sertão”, explica a coordenadora geral do Renascendo.

Caminhadas ecológicas são integradas as vivencias de sensibilização e educação ambiental para os cuidados hídricos nas comunidades participantes. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras, tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Projeto Renascendo conclui os ciclos de formação dos “Nós” da Rede Renascendo de Educação Ambiental, em Canapi

O Projeto Renascendo conclui os ciclos de encontros locais realizados em todos os municípios participantes, foi a vez de Canapi acolher o Encontro do Nó da Rede de Educação Ambiental. O evento aconteceu no dia 28 de novembro, no Salão Paroquialdo município. A ação é uma das etapas do Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras

Equipe do Projeto Renascendo apresenta as propostas para participantes no encontro de Canapi/AL. Foto: André Souza

O Plano de Ação foi definido no encontro do “Nó da Rede” de Canapi/AL, que é o planejamento de ações e práticas ambientais. No município de Canapi, as ações estarão focadas nos projetos pedagógicos, a partir das escolas, cujo eixo temático central é a educação ambiental, tendo como temática específica os cuidados com a água. Durante o evento foram definidas escolas da zona rural prioritárias e a realização de um grande evento que envolverá todas as escolas municipais. 

O Encontro que teve como objetivo a formação do Nó da Rede de Canapi, também serviu para que a equipe do Projeto Renascendo apresentasse as diretrizes e atuação do projeto aos gestores municipais, aos participantes das comunidades locais, ao Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e a comunidade quilombola do Topete, que teve grande representatividade no encontro, o que possibilitou uma rica troca de experiências.

O Grupo de Mulheres “Cuidadoras da Vida” formará multiplicadoras dos cuidados hídricos e ambientais nas comunidades, em Canapi. Foto: André Souza

Em Canapi, o grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida” sugeriu trabalhar o tratamento do lixo e técnicas de reciclagem, com o reuso de materiais para produção de artesanato, utensílios que possam gerar renda para elas. O grupo também solicitou formação sobre a coleta seletiva do lixo e preparo de compostagem, para utilizar o composto orgânico na produção de canteiros de ervas medicinais.

A equipe técnica, em articulação com as comunidades, identificará áreas para a construção de barramentos de enxurradas, que é uma tecnologia para diminuir a erosão do solo, aumentar a área de infiltração das águas, para que possam chegar em maior quantidade às águas subterrâneas e diminuir o assoreamento de nascentes.

Segundo Ana Cristina Accioly, assessora de Educação Ambiental do projeto, “o envolvimento da comunidade é fundamental para os processos de cuidados com o patrimônio ambiental. A sensibilização e as contribuições das comunidades locais são irradiadas a partir dos Nós da Rede e por isso, estes encontros são tão importantes”, ressalta Accioly.

A gerente de vigilância em Saúde Ambiental da SESAU/AL, Maria Elisabeth Vieira da Rocha, fala durante o Encontro do Nó da Rede de Mata Grande/AL, sobre a recente parceria entre a SESAU e o Projeto Renascendo. Foto: Kaedla Menezes

As ações de recuperação das nascentes e educação ambiental ganham uma nova parceria estabelecida entre o projeto Renascendo e a SESAU/AL – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas, através da Superintendência de Vigilância em Saúde.  

De acordo com a gerente de vigilância em Saúde Ambiental da SESAU, Maria Elisabeth Vieira da Rocha, “essa parceria é muito importante porque o Estado vai conseguir chegar em comunidades mais distantes dentro dos municípios, nas zonas rurais, o projeto Renascendo aproxima essas comunidades às nossas ações, além de trazer como conteúdo da educação ambiental o cuidado com a qualidade da água”, afirma. A parceria com a SESAU/AL agrega maiores ações nos cuidados com a qualidade da água usada pelas comunidades. 

A comunidade Quilombola do Topete, localidade de Canapi, ensina a pisada do samba de coco para participantes do encontro. Foto: André Souza

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH) da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Recuperação de Nascentes é tema do Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental, em Mata Grande

A coordenadora Geral do Projeto Renascendo Maria do Carmo Vieira conversa com a comunidade durante o encontro de Pariconha/AL. Foto: André Souza

O Encontro do Nó da Rede Renascendo de Mata Grande tem como objetivos  selecionar, de maneira participativa, as nascentes a serem recuperadas no município, elaborar o Plano de Ação de Educação Ambiental, além do fortalecimento do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”. O evento acontece dia 21 de novembro, das  08h às 12h, no Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, em Mata Grande/AL.

Para a coordenadora geral do Projeto Renascendo, “é através da educação ambiental que fica evidenciada a importância da participação da comunidade em todo o processo de recuperação, desde a escolha da nascente a ser recuperada, até a organização dos moradores para, juntos, tomarem os cuidados necessários para a conservação da boa qualidade da água”, ressalta. Segundo a coordenadora, nas oficinas de Educação

Comunidade local, gestores municipais e equipe técnica do Projeto Renascendo selecionam nascentes prioritárias a serem recuperadas em Água Branca/AL. Foto: André Souza

Ambiental, a comunidade toma conhecimento de como a nascente se forma, como pode ser realimentada, e o que deve ser evitado para não prejudicar a nascente. “Através da educação ambiental, a comunidade se empodera das técnicas e das práticas para assegurar a sustentabilidade das nascentes.”, afirma Maria do Carmo Vieira.

Implantação de sistemas de irrigação é uma das ações que visam a segurança hídrica em nascentes recuperadas. Foto: Asscom

A proposta do fortalecimento do  grupo de multiplicadoras “Cuidadoras da Vida”, parte do reconhecimento  do importante papel que as mulheres desempenham nas famílias e na mobilização da comunidade, o fortalecimento dos grupos de mulheres de Mata Grande é uma das pautas do evento. Os encontros dos Nós da Rede Renascendo de Educação Ambiental pretendem criar grupos de mulheres nos 6 municípios participantes do Projeto.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

Projeto Renascendo realiza Encontro do Nó da Rede de Educação Ambiental em Pariconha

Imagem: Seleção das nascentes em Tacaratu/PE. Foto: André Souza

O Encontro do Nó da Rede Renascendo de Educação Ambiental de Pariconha tem como objetivos, pensar coletivamente sobre a importância e significados das nascentes, elaborar o Plano de Ação de Educação Ambiental, selecionar as próximas nascentes a serem recuperadas, além de iniciar o processo de formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”. O encontro acontece dia 05 de outubro, das  08h às 12h, no Balbinão Show Emanoel Lima, localizado na rua Alto da Boa Vista em Pariconha/AL.

Imagem: Silvia Janayna de Oliveira, assistente de educação ambiental conversa com grupo de mulheres em Água Branca/AL. Foto: André Souza

Para Silvia Janayna de Oliveira, assistente de educação ambiental do projeto,  a participação das comunidades é importante para o fortalecimento da rede de educação ambiental, “o êxito da recuperação das nascentes e a continuidade do projeto dependem diretamente do nível de envolvimento das comunidades, e a educação ambiental é fundamental nesse processo. Para isso, além de trabalharmos a comunidade do entorno das nascentes como um todo, atuamos também em grupos específicos com  a comunidade escolar, com os gestores públicos, com os jovens locais e também com as mulheres, através do grupo Cuidadoras da Vida”, ressalta Silvia Janayna. Os encontros dos Nós da Rede pretendem criar grupos de mulheres nos 6 municípios participantes.

Imagem: Recuperação de nascentes, limpeza, canalização e práticas sustentáveis em Mata Grande/AL. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Imagem: Socialização de informações sobre qualidade da água junto às comunidades dos entornos das nascentes em Mata Grande/AL. Foto Kaedla Menezes

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

 

Serviço:

Encontro dos Nós da Rede Renascendo – Pariconha – Alagoas

Local: Balbinão Show Emanoel Lima, localizado na rua Alto da Boa Vista s/n

Data: 05 de outubro de 2018

Hora: 8h às 12h

 

Projeto Renascendo realiza Encontro do Nó da Rede de Educação Ambiental em Água Branca

O Encontro do Nó da Rede Renascendo de Água Branca tem como objetivo mobilizar a comunidade local para ser protagonista das ações de educação ambiental e participar do processo de recuperação das nascentes proposto pelo Projeto Renascendo. O encontro acontece dia 21 de agosto, das  08h às 12h, no Auditório da Secretaria de Educação de Água Branca/AL.

Encontro do Nó da Rede em Água Branca/AL. Foto: André Souza

Para a Assessora de Educação Ambiental do projeto, Ana Cristina Accioly, “nesses processos participativos as pessoas da comunidade e os técnicos do projeto podem dialogar e construir soluções em conjunto. A interação de saberes acadêmicos, técnicos e populares revela o repertório de conhecimento disponível nas comunidades. E assim, é possível construir soluções que são mais efetivas, valorizam-se os saberes locais e desperta um sentimento de pertencimento”, afirma Ana Accioly; “Uma parte importante da programação diz respeito à

Grupo de Mulheres “Cuidadoras da Vida”. Foto: André Souza

participação dos atores sociais no processo de identificação das nascentes que existem no município e depois, de priorização dessas nascentes considerando critérios técnicos e sociais”, completa.

Metodologias participativas na identificação das nascentes. Foto: André Souza

Outro ponto importante a ser discutido é a construção de um documento coletivo de responsabilidade com as nascentes recuperadas, para que os proprietários das terras onde estão localizadas as fontes de água e a comunidade assumam publicamente e de maneira coletiva o papel de gestores de um bem coletivo como a água.

Nesse encontro também será articulada a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”, que segundo Ana Cristina Accioly, parte do reconhecimento do importante papel que as mulheres desempenham nas famílias e na comunidade, “desde o antigo projeto ‘Renas-Ser’, reconhecemos o valor da ação feminina. O trabalho com as mulheres irá fortalecer o seu reconhecimento enquanto sujeito de direitos e como protagonistas do mundo, tanto no ambiente familiar quanto social, considerando inclusive as questões econômicas”. Os encontros dos Nós da Rede pretendem criar grupos de mulheres nos 6 municípios participantes.

O encontro do Nó da Rede de Educação Ambiental que acontece em Água Branca já ocorreu nos municípios de Inhapi/AL e Tacaratu/PE. Este encontro contará com a presença do Sr. Marcos Costa Monteiro, da Petrobras, que virá acompanhar o andamento do Projeto na região.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

Marcos C. Monteiro da Petrobras, destacou a importância de projetos como o Renascendo. Foto André Souza

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

Serviço:

Encontro dos Nós da Rede Renascendo – Água Branca – Alagoas

Local: Auditório da Secretaria de Educação de Água Branca

Data: 21 de agosto de 2018

Hora: 8h às 12h

Contatos:

Ana Cristina Accioly – Assessora de Educação Ambiental

(82) 98879-4542

Ionaldo Galvão – Coordenador Administrativo

(82) 98822-7770

Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental em Inhapi

Participantes expõem as formas e cores encontradas nas nascentes. Foto: André Souza

O encontro do “Nó da Rede” de educação ambiental realizado pelo Projeto Renascendo em Inhapi-AL, no último 10/08, reforça a articulação em espaços coletivos e fortalece os vínculos entre as comunidades, o poder público e a sociedade civil organizada na gestão compartilhada das ações de recuperação e proteção das nascentes.

Sistematização das lendas, formas e cores das nascentes. Foto: André Souza

Durante o encontro foram levantadas informações referentes à percepção da paisagem por parte dos moradores do entorno das nascentes, as formas e as cores dos elementos presentes nas fontes de água, as lendas que fazem parte do repertório cultural local e ambiental.

“Com a educação ambiental proposta pelo projeto, ao mesmo tempo em que ouvimos a comunidade, como utilizam a água, seus desejos e anseios relativos às ações de intervenção nas nascentes, trazemos essas informações para o nosso plano prático de recuperação ecológica”, afirma Silvia Janayna de Oliveira, assistente de educação ambiental do projeto. “Nesse encontro também começamos a discutir com as participantes a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida” e quais atividades e ações elas teriam interesse em desenvolver”, ressalta Silvia.

Silvia Janayna, assistente de Educação Ambiental, fala com participantes. Foto: André Souza

 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

Durante o encontro foi discutida a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”. Foto: André Souza

Análise de qualidade da água com ecokits é uma das ações práticas da educação ambiental do Projeto Renascendo

Pablo Vieira, coordenador técnico utiliza o ecokit com as crianças. Foto Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo promoveu na manhã de 02 de agosto uma vivência educativa sobre a qualidade da água das nascentes com a comunidade escolar do Saco dos Miranda, no município de Mata Grande-AL. A partir da participação na coleta e análise de água realizada com os ecokits, estudantes e comunidade foram esclarecidos sobre boas práticas na proteção dos mananciais e principais causas de contaminação das nascentes.

O coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, foi o responsável por ensinar às crianças como utilizar os ecokits e socializar informações gerais sobre como evitar contaminação das águas das nascentes, “a contaminação pode ser feita por folhas ou animais, e o processo que utilizamos de solo-cimento é uma boa maneira de proteger as nascentes de contaminação”. Segundo Pablo Vieira, “o ecokit permite analisar e aferir informações acerca da presença de coliformes fecais, sais, amônia, turbidez, nitrogênio total e oxigênio dissolvido em água”, dados que revelam o grau de degradação ou conservação das nascentes.

 

Esta atividade prática de análise coletiva, faz parte do processo de monitoramento da qualidade da água das nascentes. Contribui para a realização de um dos objetivos específicos do Projeto Renascendo, a socialização de resultados das análises de água nas localidades, e a disseminação de conhecimentos técnicos sobre doenças transmitidas pela água. Além de trazer também informações sobre a contaminação das águas e sobre os cuidados e formas de tratamento que podem ser adotadas pela população do entorno das nascentes.

Análise da água com ecokit e os níveis de amônia na água. Foto: Kaedla Menezes

Segundo a assistente de educação ambiental, Silvia Janayna de Oliveira, “a análise da água realizada na comunidade, com a participação das crianças, foi uma atividade importantíssima. Tivemos a oportunidade de ouvir os conceitos delas sobre a qualidade da água e todos os cuidados que devemos ter para mantê-la limpa, com qualidade para o consumo”, afirma.

As aulas de campo são um importante recurso pedagógico à educação ambiental contextualizada, por aproximar as pessoas do ambiente que se deseja proteger, criar vínculos afetivos com o território e empatia no cuidado com o entorno das nascentes. “Durante a trilha até a nascente fomos conversando sobre as plantas e seus usos na medicina popular, e as crianças puderam apresentar seus

Comunidade Escolar do Saco dos Miranda em Mata Grande-AL. Foto: Kaedla Menezes

conhecimentos adquiridos. Lá na nascente, elas puderam ser cientistas, foi maravilhoso ver a concentração e empolgação das crianças”, enfatiza Silvia Janayna.

 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

Socialização de informações sobre qualidade da água junto às comunidades dos entornos das nascentes. Foto Kaedla Menezes

Projeto Renascendo realiza Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental em Tacaratu

Imagem: Igreja de Nossa Senhora da Saúde, símbolo de Tacaratu. Foto: André Souza

O objetivo do Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental (Nós da Rede) é  pensar sobre a importância e significados das nascentes, elaborar o Plano de Ação de Educação Ambiental, selecionar as próximas nascentes a serem recuperadas e iniciar a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”.

Imagem: Mapeamento das nascentes de Tacaratu durante o Seminário de Sensibilização. Foto: André Souza

Os  grupos locais de educação ambiental formam Nós,  que juntos, formam  a rede Renascendo.  O Encontro do Nó da Rede de Tacaratu acontece no dia 26 de junho de 2018, das  08h às 12h, no Auditório da Prefeitura Municipal de Tacaratu/PE.

De acordo com a coordenadora geral do Renascendo, Maria do Carmo Vieira, a revitalização de nascentes compreende dois processos distintos, mas complementares: “uma intervenção física nas nascentes: limpeza, proteção, canalização; e uma ação de educação ambiental”, esclarece a coordenadora, “é através da educação ambiental, que fica evidenciada a importância da participação da comunidade em todo o processo de revitalização, desde a priorização da nascente a ser recuperada, até a organização dos moradores para juntos, tomarem os cuidados necessários para a conservação da boa qualidade da água” ressalta Maria do Carmo Vieira.

Imagem: Maria do Carmo Vieira, coordenadora geral do projeto Renascendo. Foto: André Souza

O envolvimento da comunidade é fundamental para os processos de revitalização de nascentes, e a proteção do patrimônio ambiental representado pelas fontes de água no semiárido passa pela sensibilização das comunidades locais. Além do conhecimento e participação no processo de recuperação das nascentes, através da educação ambiental, a comunidade se empodera das técnicas e das práticas para assegurar a sustentabilidade das nascentes. Nas oficinas de Educação Ambiental, a comunidade toma conhecimento de como a nascente se forma, como pode ser realimentada, e o que deve ser evitado para não prejudicar a nascente.

Imagem: Recuperação de nascentes, limpeza, canalização e práticas sustentáveis. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos

Imagem: Equipe renascendo e a comunidade local, ações utilizam metodologias participativas. Foto: Kaedla Menezes

humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

 

Serviço:

Encontro dos Nós da Rede Renascendo – Tacaratu, Pernambuco

Local: Auditório da Prefeitura Municipal de Tacaratu

Data: 26 de junho de 2018

Hora: 8h às 12h

Seminário de Sensibilização promovido pelo Projeto Renascendo chega ao município de Tacaratu, em Pernambuco

Dando continuidade aos seminários de sensibilização para as causas ambientais e cuidados hídricos, o Projeto Renascendo realiza mais um encontro. O evento acontece na cidade de Tacaratu, no sertão pernambucano, no dia 25 de abril, e reúne as comunidades de Tacaratu, Pariconha e Água Branca.

Este seminário é mais uma das etapas do Renascendo, que visa a construção de conhecimentos e práticas para melhoria da convivência com o semiárido e está sendo desenvolvido em seis municípios pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. A primeira reunião foi realizada no dia 19 de abril e congregou os municípios de Inhapi, Canapi e Mata Grande.

Em Tacaratu, será formado mais um grupo de educação ambiental, o “Nós da Rede” que se articula à Rede Renascendo, onde se discute de maneira participativa o levantamento de problemas, sugestões e soluções para a recuperação de nascentes e outras questões ambientais nas comunidades. Esses seminários buscam analisar de forma detalhada a realidade de cada um dos municípios, buscando na comunidade a possibilidade das nascentes a serem recuperadas, entre outras questões.

De acordo com a Assessora de Educação Ambiental do Instituto Palmas, Sílvia Janayna Veriato, as opiniões dos moradores são de grande importância e o projeto é desenvolvido tendo como base o olhar de cada um. Sílvia explica, inclusive, que existem localidades com comunidades indígenas, e há uma preocupação por parte do projeto em respeitar as ideias desses povos tradicionais. Em Tacaratu, há a tribo Pankararu, denominada aldeia mãe da região. “Para o indígena, a água representa uma coisa sagrada, então junto com esse povo construímos um estudo para que possamos intervir na recuperação daquela nascente respeitando suas tradições e garantido a segurança hídrica para a comunidade”, fala Sílvia.

Ela explica que em Tacaratu também será feito o levantamento das escolas para que a comunidade escolar contribua com os projetos pedagógicos de educação ambiental. Sílvia enfatiza que no seminário também serão identificadas as fontes de água que foram revitalizadas a partir das ações do Projeto Renas-Ser, executado em 2015 com o apoio do Instituto Palmas, nos municípios de Tacaratu, Pariconha e Água Branca.

Para Sílvia, o trabalho de recuperação de nascentes é muito gratificante, uma vez que permite o acesso à água por pessoas que muitas vezes sofrem longos períodos com a escassez. “Trabalhar com a recuperação de nascentes é extremamente gratificante porque garante a qualidade hídrica para as comunidades, mudando a realidade da população onde a fonte de água está inserida, porque muitas delas passam longos períodos de escassez”, explica.

Um desses exemplos de que a recuperação das nascentes muda a realidade local é no Sítio Brígida, em Mata Grande. Lá, o dono da propriedade onde está inserida, Luiz Carlos, ressalta que a ação trouxe uma grande mudança para a comunidade. “Esse trabalho que foi feito aqui foi uma maravilha, especialmente com a caixa que colocaram porque fica tudo limpinho, organizado, então as pessoas vêm buscar a água e não tem bagunça. Sem contar que com o trabalho que foi feito, a nascente está minando mais água e isso é muito bom. Realmente foi uma coisa que trouxe muitos benefícios para nós”, frisou.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.

 

Fotos: Kaedla Menezes