Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental em Inhapi

Participantes expõem as formas e cores encontradas nas nascentes. Foto: André Souza

O encontro do “Nó da Rede” de educação ambiental realizado pelo Projeto Renascendo em Inhapi-AL, no último 10/08, reforça a articulação em espaços coletivos e fortalece os vínculos entre as comunidades, o poder público e a sociedade civil organizada na gestão compartilhada das ações de recuperação e proteção das nascentes.

Sistematização das lendas, formas e cores das nascentes. Foto: André Souza

Durante o encontro foram levantadas informações referentes à percepção da paisagem por parte dos moradores do entorno das nascentes, as formas e as cores dos elementos presentes nas fontes de água, as lendas que fazem parte do repertório cultural local e ambiental.

“Com a educação ambiental proposta pelo projeto, ao mesmo tempo em que ouvimos a comunidade, como utilizam a água, seus desejos e anseios relativos às ações de intervenção nas nascentes, trazemos essas informações para o nosso plano prático de recuperação ecológica”, afirma Silvia Janayna de Oliveira, assistente de educação ambiental do projeto. “Nesse encontro também começamos a discutir com as participantes a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida” e quais atividades e ações elas teriam interesse em desenvolver”, ressalta Silvia.

Silvia Janayna, assistente de Educação Ambiental, fala com participantes. Foto: André Souza

 

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

Durante o encontro foi discutida a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”. Foto: André Souza

Projeto Renascendo realiza Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental em Tacaratu

Imagem: Igreja de Nossa Senhora da Saúde, símbolo de Tacaratu. Foto: André Souza

O objetivo do Encontro da Rede Renascendo de Educação Ambiental (Nós da Rede) é  pensar sobre a importância e significados das nascentes, elaborar o Plano de Ação de Educação Ambiental, selecionar as próximas nascentes a serem recuperadas e iniciar a formação do grupo de mulheres “Cuidadoras da Vida”.

Imagem: Mapeamento das nascentes de Tacaratu durante o Seminário de Sensibilização. Foto: André Souza

Os  grupos locais de educação ambiental formam Nós,  que juntos, formam  a rede Renascendo.  O Encontro do Nó da Rede de Tacaratu acontece no dia 26 de junho de 2018, das  08h às 12h, no Auditório da Prefeitura Municipal de Tacaratu/PE.

De acordo com a coordenadora geral do Renascendo, Maria do Carmo Vieira, a revitalização de nascentes compreende dois processos distintos, mas complementares: “uma intervenção física nas nascentes: limpeza, proteção, canalização; e uma ação de educação ambiental”, esclarece a coordenadora, “é através da educação ambiental, que fica evidenciada a importância da participação da comunidade em todo o processo de revitalização, desde a priorização da nascente a ser recuperada, até a organização dos moradores para juntos, tomarem os cuidados necessários para a conservação da boa qualidade da água” ressalta Maria do Carmo Vieira.

Imagem: Maria do Carmo Vieira, coordenadora geral do projeto Renascendo. Foto: André Souza

O envolvimento da comunidade é fundamental para os processos de revitalização de nascentes, e a proteção do patrimônio ambiental representado pelas fontes de água no semiárido passa pela sensibilização das comunidades locais. Além do conhecimento e participação no processo de recuperação das nascentes, através da educação ambiental, a comunidade se empodera das técnicas e das práticas para assegurar a sustentabilidade das nascentes. Nas oficinas de Educação Ambiental, a comunidade toma conhecimento de como a nascente se forma, como pode ser realimentada, e o que deve ser evitado para não prejudicar a nascente.

Imagem: Recuperação de nascentes, limpeza, canalização e práticas sustentáveis. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma ONG fundada em 2002, com sede em Piranhas, no alto sertão de Alagoas, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social sustentável, dos direitos

Imagem: Equipe renascendo e a comunidade local, ações utilizam metodologias participativas. Foto: Kaedla Menezes

humanos, da cidadania e da democracia; e a preservação da memória e do meio ambiente.

 

Serviço:

Encontro dos Nós da Rede Renascendo – Tacaratu, Pernambuco

Local: Auditório da Prefeitura Municipal de Tacaratu

Data: 26 de junho de 2018

Hora: 8h às 12h

Seminário de Sensibilização promovido pelo Projeto Renascendo chega ao município de Tacaratu, em Pernambuco

Dando continuidade aos seminários de sensibilização para as causas ambientais e cuidados hídricos, o Projeto Renascendo realiza mais um encontro. O evento acontece na cidade de Tacaratu, no sertão pernambucano, no dia 25 de abril, e reúne as comunidades de Tacaratu, Pariconha e Água Branca.

Este seminário é mais uma das etapas do Renascendo, que visa a construção de conhecimentos e práticas para melhoria da convivência com o semiárido e está sendo desenvolvido em seis municípios pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. A primeira reunião foi realizada no dia 19 de abril e congregou os municípios de Inhapi, Canapi e Mata Grande.

Em Tacaratu, será formado mais um grupo de educação ambiental, o “Nós da Rede” que se articula à Rede Renascendo, onde se discute de maneira participativa o levantamento de problemas, sugestões e soluções para a recuperação de nascentes e outras questões ambientais nas comunidades. Esses seminários buscam analisar de forma detalhada a realidade de cada um dos municípios, buscando na comunidade a possibilidade das nascentes a serem recuperadas, entre outras questões.

De acordo com a Assessora de Educação Ambiental do Instituto Palmas, Sílvia Janayna Veriato, as opiniões dos moradores são de grande importância e o projeto é desenvolvido tendo como base o olhar de cada um. Sílvia explica, inclusive, que existem localidades com comunidades indígenas, e há uma preocupação por parte do projeto em respeitar as ideias desses povos tradicionais. Em Tacaratu, há a tribo Pankararu, denominada aldeia mãe da região. “Para o indígena, a água representa uma coisa sagrada, então junto com esse povo construímos um estudo para que possamos intervir na recuperação daquela nascente respeitando suas tradições e garantido a segurança hídrica para a comunidade”, fala Sílvia.

Ela explica que em Tacaratu também será feito o levantamento das escolas para que a comunidade escolar contribua com os projetos pedagógicos de educação ambiental. Sílvia enfatiza que no seminário também serão identificadas as fontes de água que foram revitalizadas a partir das ações do Projeto Renas-Ser, executado em 2015 com o apoio do Instituto Palmas, nos municípios de Tacaratu, Pariconha e Água Branca.

Para Sílvia, o trabalho de recuperação de nascentes é muito gratificante, uma vez que permite o acesso à água por pessoas que muitas vezes sofrem longos períodos com a escassez. “Trabalhar com a recuperação de nascentes é extremamente gratificante porque garante a qualidade hídrica para as comunidades, mudando a realidade da população onde a fonte de água está inserida, porque muitas delas passam longos períodos de escassez”, explica.

Um desses exemplos de que a recuperação das nascentes muda a realidade local é no Sítio Brígida, em Mata Grande. Lá, o dono da propriedade onde está inserida, Luiz Carlos, ressalta que a ação trouxe uma grande mudança para a comunidade. “Esse trabalho que foi feito aqui foi uma maravilha, especialmente com a caixa que colocaram porque fica tudo limpinho, organizado, então as pessoas vêm buscar a água e não tem bagunça. Sem contar que com o trabalho que foi feito, a nascente está minando mais água e isso é muito bom. Realmente foi uma coisa que trouxe muitos benefícios para nós”, frisou.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.

 

Fotos: Kaedla Menezes