Encontro Regional da Rede Renascendo apresenta 1ª fase das ações de recuperação de nascentes e sustentabilidade hídrica no sertão de Alagoas e Pernambuco

Apresentar as ações de recuperação de nascentes e de formação de multiplicadores são alguns dos objetivos do Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental, que acontece no dia 11/12 (terça-feira), na sede da Copabbacs, em Delmiro Gouveia-AL. A ação é uma das etapas do Projeto Renascendo, realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras

Análise da qualidade da água é uma das ações práticas da educação ambiental do Projeto Renascendo. Foto: Kaedla Menezes

O Encontro Regional da Rede Renascendo de Educação Ambiental apresenta os resultados obtidos durante a primeira fase do Projeto Renascendo, contará com a participação das comunidades locais, sociedade organizada e gestores públicos. Até o momento, o Renascendo recuperou 13 nascentes, em municípios do sertão de Alagoas e Pernambuco. Além da formação de 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras, do grupo “Cuidadoras da Vida”, sensibilizados para os cuidados hídricos e sustentabilidade ambiental.

Para a coordenadora geral, Maria do Carmo Vieira, “a importância da realização deste Encontro Regional,  após 1 ano de execução do Projeto,  decorre da oportunidade de partilhar com os membros do Colegiado Territorial, os resultados já alcançados pelas equipes de campo, viabilizando o acompanhamento das ações previstas no Projeto Renascendo”, afirma. A atuação em rede e o fortalecimento das parcerias são fundamentais para alcançarmos as metas de sustentabilidade hídrica em regiões semiáridas. 

Ações de aproveitamento de água com a criação de canteiros de ervas e plantas medicinais. Foto: André Souza

O evento também pretende criar o planejamento das atividades de 2019, como explica Maria do Carmo Vieira, “é uma oportunidade de estabelecer metas conjuntas, discutir dificuldades, compartilhar o processo, planejar as ações, com a participação dos agricultores, das comunidades, dos gestores públicos. Espera-se que, através desse processo de gestão compartilhada, seja maximizada a possibilidade de assegurar a sustentabilidade dos recursos hídricos no sertão”, explica a coordenadora geral do Renascendo.

Caminhadas ecológicas são integradas as vivencias de sensibilização e educação ambiental para os cuidados hídricos nas comunidades participantes. Foto: Kaedla Menezes

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras, tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.

Seminário inicia sensibilização das comunidades para causa ambiental e cuidados hídricos

Com o objetivo de sensibilizar comunidades do sertão de Alagoas e Pernambuco para a causa ambiental, especialmente para os cuidados hídricos, o Projeto Renascendo realiza o I Seminário de Sensibilização no Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas. O evento acontece no dia 13 de março, das 9h às 15h, na sede da Coppabacs, em Delmiro Gouveia.

Imagem: Fonte do Ivan, Mata Grande-AL

O encontro tem como público alvo representantes de comunidades rurais, entidades locais e regionais, lideranças e representantes dos municípios parceiros do projeto – Inhapi, Canapi, Mata Grande, Água Branca, Pariconha, em Alagoas, e Tacaratu, em Pernambuco.
O seminário faz parte do Projeto Renascendo, que visa a construção de conhecimentos e práticas para melhoria da convivência com o semiárido e é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. O projeto tem como foco a sustentabilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do São Francisco, por meio da recuperação e monitoramento de nascentes, reflorestamento de matas ciliares, implantação de barragens, instalação de sistemas de irrigação, seminários de sensibilização com as comunidades rurais e a disseminação de práticas sustentáveis através da educação ambiental.

Imagem: Roda de apresentação durante o Encontro em Delmiro Gouveia-AL.

De acordo com a Assessora de Educação Ambiental do Instituto Palmas, Ana Cristina Accioly, o seminário será o ponto de partida para a apresentação do Projeto Renascendo e uma forma de identificar os possíveis parceiros dentro dos territórios para o desenvolvimento das ações. Ela explica que a partir desse conhecimento, forma-se a Rede Renascendo.
“Por meio do contato com essas pessoas identificamos os parceiros e assim levantamos as potencialidades e aprofundamos a realidade a partir da visão de quem mora no território, que vai identificar e mostrar a necessidade e a prioridade de cada passo do projeto a ser realizado”, explica Ana. Ela enfatiza que dentro da Rede Renascendo vão sendo formados grupos de educação ambiental em cada município parceiro, que são denominados “Nós da Rede” que se articulam com a Rede Renascendo. “A rede se articula e se move de forma própria, dinâmica e criativa, de acordo com as necessidades e as realidades das várias comunidades envolvidas”, complementa a assessora.
O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.

Imagem: Participantes da Rede Renascendo de Educação Ambiental – Nós da Rede

O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.

Projeto Renascendo visa recuperação da Bacia Hidrográfica do São Francisco

A escassez de água é um dos principais problemas enfrentados pelas comunidades do sertão de Alagoas e Pernambuco. Os longos períodos de estiagem têm provocado diversos transtornos, como a falta de água para o consumo humano e animal, afetando ainda a produção de alimentos. Sensibilizado com essa realidade, o Instituto Palmas propôs o Projeto Renascendo, que visa a disseminação de conhecimentos e práticas na melhoria da convivência com o semiárido.

Imagem: Mata Grande em Alagoas, município participante do Projeto Renascendo.

A ação, que tem o patrocínio da Petrobras, objetiva a sustentabilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do Sâo Francisco, por meio da recuperação e monitoramento de nascentes, reflorestamento de matas ciliares, implantação de barragens, instalação de sistemas de irigação, seminários de sensibilização com as comunidades rurais e a disseminação de práticas sustentáveis através da educação ambiental.
O projeto tem duração de dois anos e é composto por diversas etapas. Atualmente, estão sendo realizados o mapeamento e diagnóstico de nascentes nos municípios de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi e Pariconha, no Alto Sertão Alagoano, e Tacaratu, no Sertão Pernambucano. A equipe está fazendo ainda o monitoramento das fontes de água que foram revitalizadas a partir das ações do Projeto Renas-Ser, executado em 2015 com o apoio do Instituto Palmas, que chegou a recuperar 55 nascentes.
“Nessa etapa estamos realizando o monitoramento, in loco, das nascentes recuperadas por meio do Renas-Ser, preparando o diagnóstico de como se encontram essas áreas para que, em um segundo momento, possamos mapear novas nascentes a serem recuperadas”, explicou o Coordenador Técnico do Projeto Renascendo, Pablo Vieira Tomás.

Imagem: Nascente recuperada pelo projeto Renas-ser, a Fonte de Ivan, na comunidade Sitio do Urubu, no município de Mata Grande, Alagoas.

A revitalização das nascentes oferece à comunidade onde está localizada, não somente o acesso à água de qualidade para o consumo, mas também educação ambiental, envolvendo a população em todo o processo. Para a Assessora de Educação Ambiental do projeto, Ana Cristina Accioly, esse processo educacional é interativo. “Procuramos, no decorrer de todo o projeto, dialogar ativamente com a comunidade. Há uma troca entre o saber acadêmico e o saber popular, onde construímos participativamente as soluções a serem realizadas. O nosso foco é o caráter participativo das pessoas, organizações e comunidades onde a nascente está inserida”, ressalta. A educação ambiental também é irradiada a partir das escolas, onde os estudantes são agentes ativos no processo. “Desta forma, as crianças e jovens, público majoritário nas escolas, serão atores estratégicos para trazer novos valores e práticas mais sustentáveis nas comunidades”, fala Ana Cristina.
O conjunto de ações do Projeto Renascendo implica também na geração de renda, na soberania alimentar das comunidades e inserção de novas práticas sustentáveis, como acontece na Fonte de Ivan, localizada na comunidade Sítio do Urubu, no município de Mata Grande, em Alagoas. Lá, a água abastece a irrigação nos plantios de feijão de corda, cana de açúcar e mandioca, e beneficia também pessoas de localidades vizinhas. “A água serve para tudo: para dar a bicho, para gente beber, para irrigação. Com essa seca enfrentada aqui na região, quem salvou a comunidade foi essa nascente, pois todo mundo só pegava água aqui, que não tinha água mais em canto nenhum do mundo”, ressaltou o produtor José Ivan de Alencar.

Imagem: José Ivan Alencar, ao lado das rapaduras produzidas no engenho da comunidade Sítio do Urubu, cujas águas da Fonte abastecem a irrigação de cana de açúcar.

O Projeto Renascendo tem o patrocínio da Petrobras, com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria das prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu.
O Instituto Palmas é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2002, cuja missão é a promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza; promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e dos valores universais; promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico; defesa e preservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; promoção dos direitos estabelecidos e construção de novos direitos.