Projeto Renascendo recupera 21 nascentes e contribui para a melhoria da segurança hidroambiental, no Alto Sertão de Alagoas e Pernambuco

A melhoria da segurança hidroambiental, através da recuperação de nascentes, tem ajudado famílias a enfrentar os períodos de estiagem, em comunidades rurais distantes, localizadas no semiárido de Alagoas e Pernambuco.  O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com patrocínio da Petrobras.

Projeto Renascendo contribui para a segurança hidroambiental, em municípios marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. Foto: André Souza

Durante o mês de fevereiro, o Projeto Renascendo recuperou 8 nascentes, nos municípios de Mata Grande/AL e Tacaratu/PE. Alcançando um total de 21 nascentes recuperadas, durante 1 ano de atuação. O projeto contribui para a segurança hidroambiental, em municípios da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, marcados pela degradação ambiental e longos períodos de seca. 

A técnica utilizada na recuperação das nascentes é a do solo-cimento, e a atividade é feita de maneira conjunta, resultante da interação entre a equipe técnica e as comunidades participantes. Essa ação, também é um momento de educação ambiental e de formação, onde os multiplicadores locais são capacitados na replicação da técnica solo-cimento e sensibilizados para os cuidados hídricos e ambientais. 

Cícero Soares da Cruz, indígena Pankararu, “o Projeto Renascendo foi uma novidade pra gente… estamos vendo que já melhorou a qualidade da água”. Foto: Ricardo Lima

Cícero Soares da Cruz, da comunidade Tapera, no Território Indígena Pankararu, em Tacaratu/PE, foi beneficiado com a recuperação de duas nascentes em sua propriedade, “a gente já vinha trabalhando com um tipo de reflorestamento, preservando, mas não era baseado nas nascentes em si, era mais na fauna, nas plantas, não cortar, não desmatar ao redor, a gente tinha essa sensibilidade”. Cícero da Cruz replicou o conhecimento adquirido, e por iniciativa própria, recuperou mais uma nascente, “somando as três nascentes revitalizadas, chegam a jorrar em 24 horas, entre 13.000 a 14.000 litros de água, equivale a 2 caminhões-pipa por dia, já é um ganho muito grande para a comunidade, beneficiando cerca de 20 famílias, em torno de 100 pessoas diretamente”, afirma.

Nascente recuperada de maneira conjunta entre equipe técnica e participantes do Projeto Renascendo. Foto: Ricardo Lima

Com as atividades de proteção das nascentes, tais como cercamento, ligações das caixas d’água, cloração, amplia-se o acesso a uma água gratuita e de qualidade, segundo o coordenador técnico, Pablo Vieira Tomás, “com a recuperação das 21 nascentes, nós temos em média uma vazão de 300 litros por hora em cada nascente, equivale a 151m³de água por dia, suficiente para abastecer mais de 1.200 pessoas com água de qualidade, em lugares onde não havia essa água, mas que ainda passa por uma série de análises, até que possa ser liberada para o consumo humano”, enfatiza o coordenador técnico. 

O Coordenador técnico Pablo Vieira explica sobre a técnica de recuperação com solo-cimento. Foto: Ricardo Lima

Além das ações de proteção e recuperação, o projeto já capacitou 198 multiplicadores e 40 multiplicadoras “cuidadoras da vida”, em atividades de educação ambiental.

O Projeto Renascendo é realizado pelo Instituto Palmas, com o patrocínio da Petrobras. Tem o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas (SEMARH), da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU) e do Colegiado Territorial do Alto Sertão de Alagoas, além da parceria com as prefeituras municipais de Água Branca, Mata Grande, Canapi, Inhapi, Pariconha e Tacaratu/PE.